Ensinar o cão a fazer as necessidades pode ser um desafio para os tutores. Por isso que muitos donos cometem erros ao ensinar o cachorro a fazer xixi e cocô no lugar certo.

Com a ajuda do adestrador Wamberto Reis, o Clube para Cachorros listou cinco erros que todo dono comete ao adestrar o cão. Segundo o especialista em comportamento animal, o maior deles é a falta de tempo dos tutores.

5 erros que todo dono comete ao ensinar o cachorro a fazer xixi e cocô

É importante recompensar o pet quando ele fizer xixi e cocô no lugar certo

Um erro comum é não impor limites ao animal (Foto: depositphotos)

1. Falta de tempo do tutor

De acordo com Wamberto, o principal erro é o pouco tempo que os tutores disponibilizam para o adestramento dos cães. Devido a correria do dia a dia, as pessoas deixam passar o período mais fácil para aprender, a fase filhote.

“Nos primeiros dias da chegada do novo amiguinho no seu novo lar é de suma importância para o aprendizado. Paciência, persistência e carinho são fundamentais para sucesso no treinamento”, explica o profissional.

Veja também: Sabia que é possível reaproveitar o cocô do seu cachorro?

2. Reclamar com o cão após o ‘erro’

Outro erro bastante comum na vida do tutor é reclamar com o cachorro após ele ter feito as necessidades no lugar errado.

“Depois do acontecido não adianta mais reclamar com seu amiguinho. O aprendizado só funciona se a correção for feita no exato momento que ele estiver fazendo no lugar errado. Se tiver feito e você não pegou na hora, ignora aquele feito, retira ele [o cão] do local, limpa e solta ele como se nada tivesse acontecido“, ensina o adestrador.

Em outras palavras, reclamar com o cão depois de muito tempo que ele errou não vai fazer sentido para o animal. Consequentemente, ele não vai entender. Pode até ficar com cara de culpado, mas isso é uma tentativa de amenizar a situação.

3. Escolher o local para o cão fazer xixi e cocô

“Muito importante para o adestramento é escolher o local das necessidades do cão. Assim que o amiguinho chega no novo lar, não somente para o adestramento mas ajudará no convívio com os tutores, já vai ensinando a rotina da nova casa para ele”, recomenda Wamberto Reis.

A maioria dos tutores erra nessa parte por não saber escolher qual o local certo. Por exemplo, o cachorro não gosta de fazer as necessidades próximo de onde come ou dorme. Fazer isso é um erro.

“Quando filhotes e já começam a andar eles afastam-se de sua mãe, que é a fonte de alimento e fazem suas necessidades longe dela. Não gostam de fazer próximo a comida”, esclarece.

Além desse cuidado, o tutor também deve estar atento ao material utilizado para ensinar o cão a fazer as necessidades. “Eles sempre gostam de fazer em um local absorvente como gramas, areias, jornais, tapetes. Pois não gostam de molhar as patas, isso incomoda muito eles”, indica o adestrador.

4. Deixar o cão solto pela casa

Um dos cinco erros que todo dono comete ao ensinar o cãozinho a fazer xixi e cocô é não impor limites ao animal. O ideal é não permitir que o cão tenha acesso a todos os lugares da casa de uma só vez.

Veja também: Por que os cães olham para o dono quando vão fazer cocô?

O melhor é ir apresentando aos poucos os ambientes e já vai ensinando onde vai dormir, comer, fazer as necessidades e as regras da casa”, ensina o especialista em comportamento animal.

5. Não recompensar quando acertar e brigar quando errar

O último erro dessa lista acaba sendo dois em um. Muitos tutores não sabem reagir nem quando o cão acerta e nem quando o animalzinho erra.

Por exemplo, para alguns é natural reclamar com o animal quando ele erra. Contudo, não elogiam e nem recompensam o cão quando o mesmo acerta. Ambas as atitudes estão erradas, segundo Wamberto Reis.

“Depois de escolher o local para ele fazer suas necessidades é muito importante ensinarmos a ele que ali é o local certo. Para isso temos que incentivar ele a acertar cada vez mais e dar recompensas com carinhos e petiscos em todos os acertos. É muito importante para a fixação do exercício”, alerta o adestrador.

Além disso, violência, gritos ou esfregar o focinho do cão no jornal são atitudes totalmente desnecessárias. Inclusive, elas podem atrapalhar ainda mais o adestramento.

“Usando isso você vai estar traumatizando o cão e o aprendizado vai demorar muito mais. Temos que conseguir o respeito do animal (liderança) e não que ele faça as comandos por medo”, finaliza o profissional.

Veja também: Xixi e cocô à noite: O que fazer?

Dicas para adestrar o cachorro em casa

Existem técnicas que permitem que o tutor ensine o cão a fazer xixi e cocô no lugar certo

Um erro comum é brigar com o cachorro quando ele erra (Foto: depositphotos)

  • Jamais brigue ou grite com um cão que está aprendendo a fazer as necessidades ainda. De acordo com o especialista em comportamento animal, o cachorro pode acabar ficando com medo. Consequentemente, o pet pode acabar fazendo xixi e cocô escondidos, o que vai dificultar o adestramento;
  • Lembrar sempre que quando o cão acertar, ele deve ser recompensado. Caso ele erre, deve-se apenas ignorá-lo;
  • Caso não tenha tempo para ensinar ao cão, opte por contratar um adestrador.

Ensinando o cão a fazer xixi e cocô no lugar certo

O adestrador recomenda paciência e atenção para ensinar ao pet

O adestrador Wamberto Reis também é dono de um canil de buldogue francês @canilbullreis (Foto: Divulgação)

Uma boa dica para o tutor ensinar ao cão a fazer xixi e cocô no lugar certo é colocar um pote de água ao lado do cão e ficar brincando com ele.

Veja também: Como estimular o cão a fazer xixi e cocô no lugar certo

“Ele vai cansando e bebendo muita água. A bexiga dele vai encher, quando ele mencionar a fazer xixi, pega ele no braço e leva para o local certo. Demora um pouco até ele fazer, quando fizer elogios e petiscos”, ensina o adestrador Wamberto Reis.

Fonte Oficial: https://www.clubeparacachorros.com.br/adestramento/5-erros-que-o-dono-comete-ao-ensinar-o-cachorro-a-fazer-xixi-e-coco-no-lugar-certo/.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.