Uma pesquisa realizada pela Cherry Digital mostrou que quase metade das pessoas que consomem carne nos Estados Unidos prefere virar vegetariano do que matar com um animal com suas próprias mãos para se alimentar.

A pesquisa revelou que 49,3% da população não comeria carne se tivessem que tirar a vida de um animal. Rhode Island foi o estado mais simpático à causa, com 70% das pessoas preparadas para se abster de carne se tiverem que matar por isso. Já a maioria dos residentes de Utah e Louisiana mataria um animal por comida, com 16% afirmando que prefeririam se tornar vegetarianos.

Ainda de acordo com a pesquisa, 40% das pessoas que comiam carne disseram que considerariam uma dieta flexível, e a maioria das pessoas respondeu que poderiam desistir de carne por 2,1 dias por semana.

49,3% da população não comeria carne se tivessem que tirar a vida de um animal (Foto: Plant Based News)

No geral, os EUA estão se tornando cada vez menos focados na carne e isso vem refletindo no mercado: muitas das principais redes e lojas de restaurantes oferecem agora opções veganas. Os consumidores estão se tornando também cada vez mais flexíveis, impulsionados por preocupações com o bem-estar animal, o meio ambiente e sua própria saúde pessoal.

Uma questão de gênero

Existe uma clara divisão entre os gêneros na América, tendo mais mulheres do que homens tentando abandonar os produtos derivados de animais. Em estatísticas sobre vegetarianismo, 59% destes são mulheres e 41% são homens.

A situação não é presente apenas no país. Em todo o mundo, mulheres são mais propensas a abandonar a carne do que os homens.

De acordo com um estudo do Reino Unido realizado na Universidade de Southampton, isso não é porque os homens não querem comer mais vegetais, mas porque sentem a pressão externa de ideais másculos para comer pratos à base de carne.

“Descobrimos que muitos homens estão interessados ​​em comer menos carne, mas eles precisam de permissão da sociedade”, disse Emma Roe, pesquisadora da universidade. “Depois de reduzir a ingestão de proteína animal, os homens na pesquisa acabaram se isolando socialmente entre grupos de amigos e conhecidos do sexo masculino”.

No entanto, ela afirma que há esperança para o futuro: “À medida que mais homens fazem escolhas vegetarianas e veganas, essa permissão está se tornando mais aceita”, acrescentou ela.

Leia mais em: https://www.anda.jor.br/2018/09/50-da-populacao-dos-eua-prefere-ser-vegetariana-a-matar-animais-com-as-proprias-maos/.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.