Um dos métodos mais antigos e utilizados pela medicina chinesa para prevenir, diagnosticar e tratar doenças, a Acupuntura também é indicada em tratamentos de algumas doenças que acometem os animais de estimação. A famosa técnica consiste em perfurar a pele com agulhas finas em locais pré-determinados, os “acupontos”, que são capazes de reconhecer e incentivar o potencial de cura do corpo.

Tanto em humanos quanto em animais, o tratamento obedece ao mesmo princípio: é uma terapia reflexa. Por meio da inserção das agulhas nos pontos

específicos do corpo e próximos a neurônios, um estímulo local reage e é capaz de desencadear um efeito “dominó” ao longo do organismo, fazendo com que o mesmo aumente sua produção de substâncias responsáveis pelo relaxamento e analgesia.

O uso da acupuntura é indicado em qualquer forma de desequilíbrio orgânico, que nada mais é do que as diversas enfermidades tratadas diariamente. Em questão de eficácia, o efeito do tratamento é comparado ao uso da morfina e recomendado pela OMS (Organização Mundial de Saúde).

Na Medicina Veterinária, a acupuntura é uma especialidade bastante indicada no tratamento de enfermidades como a doença do disco intervertebral, que causa lesão medular, fortes dores e uma possível perda total de movimentos. Ela pode ser usada em qualquer animal, sendo o conhecimento anatômico e a patologia a ser tratada os fatores fundamentais para o sucesso da terapia.

Técnicas

Existem diversas técnicas de acupuntura que são utilizadas de acordo o problema apresentado. O agulhamento seco é a técnica mais conhecida e consiste na inserção simples de agulhas nos pontos ao longo do corpo. Outras técnicas consideradas principais são:

Eletrocupuntura: Colocação de eletrodos nas agulhas para uma estimulação contínua, muito usada em quadros de dor e paralisias.

Moxabustão: Utiliza calor para estimulação local, sendo usado para quadros de dor, relaxamento e cicatrização de feridas.

Laserpuntura: O estímulo do ponto através do laser, técnica recente e muito usada na veterinária, principalmente em animais que não toleram o agulhamento e possuem as indicações anteriores.

Por: Huber Gama, Médico Veterinário e Acupunturista do Hospital Veterinário Pet Care.