Depois de ser encorajada pela organização em defesa dos direitos animais People for the Ethical Treatment of Animals (PETA), a Gate 1 Travel, uma agência de viagens americana, anunciou que não venderá mais ingressos para atrações que envolvam elefantes em cativeiro.

Reprodução | LIVEKINDLY

A PETA chamou a atenção para algumas das condições absurdas a que os elefantes são submetidos para tornar possível esse tipo de turismo: “(…) frequentemente separados de suas mães forçadamente, imobilizados com cordas presas bem fortes, e espetados com objetos pontiagudos”.

“Alguns não sobrevivem aos processos esgotantes, e os que conseguem, passam o resto da vida carregando turistas e apresentando truques sob ameaça de serem feridos com ganchos de touro (armas que se assemelham a um atiçador de lareira com um gancho de metal em uma das extremidades)”, completa a ONG.

A medida tomada pela empresa segue uma linha de turismo ético que tem se tornado popular atualmente, já que o público tem mostrado cada vez mais afinidade pelo consumo consciente. E refletir sobre o bem-estar dos animais é parte chave deste novo modo de pensar.

Recentemente, o maior grupo de turismo do mundo, a Intrepid Travel, lançou três pacotes de aventuras veganos. Além disso, no fim de abril, a TripAdvisor anunciou que ela e a Viator, sua subsidiária, pararam de vender ou anunciar shows e/ou exibições que envolvam a exploração de qualquer animal selvagem para entretenimento público.

Leia mais em: https://www.anda.jor.br/2018/06/agencia-para-vender-atracoes-elefantes-enclausurados/.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.