Leões contraíram sarna, filhotes não andavam devido a problemas neurológicos, tudo causado pela negligência do proprietário do local.

A organização internacional de proteção à vida selvagem Born Free Foundation informou recentemente que acusações criminais contra o responsável pela fazenda onde foram encontrados mais de 100 leões vivendo em condições precárias já estão sendo iniciadas.

Dentre muitas outras doenças, foi diagnosticado que os mamíferos sofriam com severas infecções parasitárias, como a sarna, devido a falta de higiene do local onde eram viviam. Dois dos filhotes eram incapazes de andar devido a problemas neurológicos, e todos eram mantidos em cercas superlotadas e extremamente imundas.

Fotos chocantes, providas de fontes anônimas, revelaram as condições deploráveis em que os animais foram forçados a enfrentar nas instalações encardidas. O local facilitou a reprodução e o surto de parasitas, causando a proliferação de sarna, deixando os leões quase totalmente sem pelos.

Estes grandes felinos faziam parte da indústria do “snuggle scam” do país (esquema do aconchego, na tradução livre), como chama a Humane Society International/Africa. Esse tipo de indústria se mantem com o dinheiro de turistas que pagam para ter uma interação artificial com os leões, como acariciar, tirar selfies abraçados com os felinos, sem saber como essas fazendas tratam estes animais, para deixá-los no estado submisso em que se encontravam, como foi informado pelo The Independent.

A fazenda Pienika que está sob investigação liderada por autoridades da National Society for the Prevention of Cruelty to Animals (NSPCA), foram encontrados 108 felinos negligenciados pela administração da propriedade, entre eles haviam leões, tigres, linces-do-deserto e leopardos. A HSI/África, que apoia assiduamente o fim da indústria de cruzamento de leões encarcerados, elogiou os inspetores da NSPCA pela atitude.

Segundo artigo publicado no último sábado (4), a fazenda Pienika é alegadamente propriedade do membro da South African Predator Association (SAPA), Jan Steinman. Associação esta que, por muitos e muitos anos, apoiou a indústria do “snuggle scam”.

A NSPCA prestou acusações de transgressão do Ato 71 de Proteção Animal de 1962 contra Steinman na última quinta (2). “Frente a tantas evidências de apoio às atrocidades dos direitos animais e atividades ilegais, incluindo os falsos padrões da indústria, o governo sul-africano não pode ficar parado”, afirma Audrey Delsink, diretor da HSI/Wildlife. “Nós exigimos que o governo feche esta indústria de uma vez por todas; este é o único jeito da África do Sul conseguir se recuperar e redimir diante flagelo.”

 

Leia mais em: https://www.anda.jor.br/2019/05/apos-denuncias-fazenda-com-leoes-explorados-na-africa-do-sul-e-investigada/#utm_source=rss&utm_medium=rss.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.