Peter Young declarou que não se arrepende de nada do que fez (Acervo: Animal Liberation Front)

A organização em defesa dos direitos animais Animal Liberation Front (ALF) vai lançar em janeiro o livro “Liberate: Stories and Lessons on Animal Liberation Above the Law”, baseado em uma compilação de ensaios inéditos de autoria do ativista vegano Peter Daniel Young, conhecido por libertar milhares de animais na década de 1990. Entre os assuntos abordados estão histórias de invasões de fazendas de peles e laboratórios que realizam testes em animais, pesquisas sobre alvos da ALF e histórias de fuga ao ser caçado pelo FBI.

Há também ensaios sobre estratégias de libertação de animais de fazendas, realidade prisional para ativistas dos direitos animais, guia do fora da lei para a cultura de segurança, “As Sete Leis da Militância” e lições e táticas de ação da Animal Liberation Front (ALF), além de outros assuntos.

Em entrevista concedida à revista “No Compromise”, Peter Young relatou que se tornou vegano em 1994, influenciado por bandas veganas do cenário straight edge como Vegan Reich, Earth Crisis e Raid, e também por uma experiência que teve ao visitar um matadouro de frangos no Distrito Internacional de Chinatown, em Seattle.

Young participou pela primeira vez de uma ação direta no outono de 1997, quando ele e seu amigo Justin Samuel partiram de Washington para o Meio-Oeste, em direção à Flórida, com o objetivo de libertar animais aprisionados em fazendas de peles. Só em outubro daquele ano, eles libertaram pelo menos oito mil martas e raposas de seis fazendas nos estados de Iowa, Dakota do Sul e Wisconsin, além de destruírem registros de reprodução mantidos em cada fazenda.

Em setembro de 1998, Young e Samuel foram indiciados por interferência no comércio interestadual e por terrorismo. Em decorrência dessas ações, Peter Young foi perseguido pelo FBI por mais de sete anos. Em 21 de março de 2005, Young foi localizado e preso em San Jose, na Califórnia. Em setembro do mesmo ano, se declarou culpado de conspiração por libertar martas de seis fazendas de peles.

Os promotores argumentaram que Young havia agido em nome da Animal Liberation Front, mas o advogado de defesa negou isso. O ativista dos direitos animais teve de cumprir pena de dois anos em uma prisão federal e realizar 360 horas de serviço comunitário em uma instituição de caridade “para beneficiar humanos e nenhuma outra espécie”.

Também foi condenado a pagar 254 mil dólares de restituição e a um ano de liberdade condicional. Antes do anúncio da condenação, Peter Young disse aos proprietários das fazendas de peles em que os animais foram libertados que tudo que fez foi a experiência mais gratificante de sua vida. Young ganhou a liberdade em 1º de fevereiro de 2007, e desde então participou de turnês da banda Earth Crisis, divulgando os direitos animais e o veganismo. Além disso, atualmente ministra palestras em conferências nos Estados Unidos e na Europa.

Saiba Mais

Peter Daniel Young participou dos filmes “Bold Native” e dos documentários “Skin Trade”, “Edge: The Movie” e “Speciesism: The Movie”, sobre os direitos animais.

Referências

Associated Press. Wanted animal rights activist arrested after 7 years on the run (29 de março de 2005).

San Diego Union Tribute e Associated Press. Animal activist to plead guilty and serve two years (31 de agosto de 2005).

No Compromise. Interview with Peter Young (19 de fevereiro de 2006).

ALF. Peter Young Interview (23 de maio de 2007).

ALF. Biography on Peter Young, Animal Liberation Front Website.

Fonte: Vegazeta 

Leia mais em: https://www.anda.jor.br/2018/11/ativista-que-libertou-milhares-de-animais-vai-lancar-livro-sobre-acao-direta/.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.