Um grupo de ativistas pelos direitos animais foi atacado por homens responsáveis pela exploração de burros na ilha de Santorini, na Grécia. O protesto ocorria pacificamente contra o abuso de animais, que têm ficado lesionados ao carregar visitantes obesos pelas encostas íngremes do ponto turístico.

Um grupo de ativistas pelos direitos animais foi atacado por homens responsáveis pela exploração de burros na ilha de Santorini, na Grécia.

(Foto: Reprodução)

Membros do organização defensora do bem-estar animal Direction Action Everywhere de Atenas afirmaram que antes mesmo de iniciarem o protesto, os homens gregos já estavam gritando e zombando da iniciativa. Porém, conforme desciam uma escadaria na capital da ilha, Fira, eles aproximaram-se de forma violenta e começaram a ofender e agredir os ativistas.

Em um vídeo, é possível ver um dos homens gregos gritando, empurrando e arrancando cartazes das mãos dos integrantes do grupo, formado majoritariamente por mulheres.

Conforme as agressões se intensificaram, os manifestantes afirmaram que não conseguiram filmar pois os agressores tentavam tirar os celulares de suas mãos e até jogaram uma das bolsas pelo penhasco. “Eles estavam cuspindo em nós e não nos deixaram pegar nossos telefones, eles também foram verbalmente violentos”, afirmou líder da filial da organização em Atenas Maria Skourta.

A manifestante Elisavet Chatzi, disse que o grupo de homens atacou até sua filha, de 16 anos, com um soco no rosto. “Havia cerca de 30 homens que nos atacaram, havia apenas 10 de nós ativistas, a maioria de nós mulheres”, disse ela. Ela acrescentou que uma ativista deficiente foi atingida com tanta força que deslocou seu ombro, o que pode exigir cirurgia.

Um porta-voz do Departamento de Polícia de Fira, em Santorini, disse que estava investigando o incidente. “Conversamos com o grupo de ativistas, informamos seus direitos e ouvimos suas reclamações. Fora isso, não tivemos nenhuma comunicação com ninguém sobre esse incidente”, afirmou.

O protesto foi ocasionado após uma investigação revelar que os burros estão sendo afetados por transportar turistas obesos. Além disso, julho é uma época de alta temporada, e a ilha recebe até até cinco navios de cruzeiro por dia, com cerca de 1.200 turistas. Isso intensifica a exploração animal, já que os burros têm menos tempo de descanso e quase não bebem água em dias de calor intenso.

Os protestos resultaram em uma reunião entre a prefeitura, grupos de ativistas e tutores de burros para garantir “respeito pelos direitos e pelo bem-estar dos animais”.

A prefeitura disse que todas as partes aceitaram uma série de medidas, incluindo manter os animais à sombra durante os períodos de descanso e garantir bastante água e comida. A carga e as horas dos burros também seriam limitadas, enquanto os tutores que maltratassem seus animais seriam banidos.

Santorini tem lutado nos últimos anos para lidar com um grande número de turistas que visitam a ilha durante a alta temporada. A prefeitura já impôs limites ao número de navios de cruzeiro e pessoas autorizadas na ilha.

Leia mais em: https://www.anda.jor.br/2018/08/ativistas-protestam-contra-a-exploracao-de-burros-em-ilha-na-grecia/.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.