O Conselho da cidade de Berkeley, nos Estados Unidos, aprovou de forma unânime a resolução na semana passada. Ela prevê que todas as instalações e programas públicos da cidade dediquem um dia, toda semana, para uma alimentação exclusivamente vegana. O Conselho também servirá apenas comida de origem vegetal em suas reuniões.

Pesquisas mostram que a maneira mais eficaz de reduzir as emissões de gases do efeito estufa é através da redução no consumo de carne e laticínios, apresenta a resolução. (Foto: pixabay)

A proposta, chamada de “Green Monday” (Segunda Verde, em tradução livre),ainda não tem data para entrar em vigor. Ela será articulada em conjunto com o grupo de proteção ambiental Green Monday US. A iniciativa faz parte do plano da cidade para combater a mudança climática e se tornar neutra em emissões de carbono até 2030.

Além das refeições, a resolução também prevê uma campanha pública. O objetivo é informar tanto empresas quanto sociedade a respeito dos impactos ambientais da produção de carne. “Quase três terços do nosso problema com a mudança climática vem da criação animal, produção de carne e poluição”, defendeu Kate Harrison, membro do Conselho, em entrevista à abc7.

Interesse antigo

No último ano, a Universidade da California, em Berkeley, já tinha mostrado interesse no tema. A universidade é responsável pela criação do primeiro curso semestral focado em alternativas veganas para a carne. Além disso, eles criaram o Alternative Meats Lab, um laboratório para realizar essas pesquisas.

Leia mais em: https://www.anda.jor.br/2018/09/berkeley-se-torna-primeira-cidade-americana-adotar-segundas-veganas/.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.