Johanesburgo — Botsuana, o país com maior número de elefantes do mundo, decidiu suspender a proibição de caçar estes animais no seu território, informaram fontes oficiais.

A decisão, adotada depois de “extensas consultas com todas as partes envolvidas”, foi antecipada ontem à noite, em comunicado, pelo Ministério de Meio ambiente, Conservação e Turismo de Botsuana.

O aumento dos conflitos entre humanos e elefantes – por exemplo, por invasão dos paquidermes em localidades e terrenos de cultivo – ou o aumento dos predadores (derivado do crescimento demográfico dos elefantes) e suas consequências para o gado estão entre os motivos assinalados para o fim do veto.

O Governo também alega que a proibição, instaurada em 2014 pelo anterior presidente do país, Ian Khama (2008-2018), teve um “impacto negativo” na forma de vida de muitas comunidades que antes se beneficiavam dela.

Em geral, Botsuana considera que há “consenso geral” entre os envolvidos para que o veto seja abolido, apesar de que o Ministério também reconheceu que começou o processo de consultas em fevereiro passado porque havia “duas escolas de pensamento” a respeito.

Esse debate envolveu as comunidades afetadas pelo aumento da população de elefantes, autoridades locais, ONGS, empresas de turismo, pesquisadores e conservacionistas, entre outros.

Com mais de 135 mil exemplares, Botsuana tem a maior densidade de população de elefantes do mundo.

Fonte: Exame.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.