O comércio de carne de cachorro será proibido na cidade de Hanói, no Vietnã. O comunicado foi divulgado pelo Comitê do Povo de Hanói, que pede que os moradores da capital vietnamita parem de consumir o animal.

Segundo as autoridades, a popularidade da carne de cachorro torna a cidade menos favorável aos turistas e pode levar à disseminação de doenças, incluindo raiva e leptospirose. O comitê espera também que seus esforços incentivem os moradores locais a “ver valor no tratamento humano dos animais”.

Logo após o anúncio, Ngoc Son Nguyen, diretor do Departamento de Saúde da cidade, fez uma declaração de que as autoridades gradualmente eliminariam o comércio de carne de cachorro, até ser eliminado totalmente em 2021. As estatísticas oficiais indicam que mil lojas dentro de Hanói ainda vendem carne de cachorro.

Hanói será a primeira cidade do Vietnã a proibir o consumo de carne de cachorro (Foto: Pixabay)

A decisão foi elogiada pela Animals Asia Foundation (AAF). “Esta não é uma questão cultural. Não discutimos se as pessoas comem ou não comem carne de cachorro”, disse o representante-chefe da AAF, Tuan Bendixsen, em um comunicado.

“O problema a ser discutido aqui é que a AAF tem muitas evidências que comprovam a crueldade em todo o processo de matar cães por carne, desde o transporte, confinando-os ao assassinato”, ele continuou.

Dados da Asia Canine Protection Alliance (ACPA) estimam que 20 mil cães sejam vítimas do comércio a cada ano, muitos dos quais são animais de companhia da família que foram roubados de suas casas.

Embora a carne de gato seja menos popular, o comitê pediu que os cidadãos parassem de comer carne de gato também, destacando a natureza cruel da indústria. O governo da cidade espera que o comércio de carne de gatos em Hanói também possa ser extinto.

Leia mais em: https://www.anda.jor.br/2018/10/capital-do-vietna-sera-a-primeira-cidade-a-banir-carne-de-cachorro-ate-2021/.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.