Duas gatas que ficaram sem olhos após uma cirurgia encontraram uma chance de viver cercadas de amor e cuidados ao serem adotadas pela maquiadora Gisele Sousa e seu companheiro. A adoção aconteceu há dois anos. Titi e Mel pertenciam a uma ninhada que recebeu abrigo na casa do casal.

Foto: Reprodução/TV Anhanguera

“A mãe pariu no meu trabalho, pariu sete gatinhos. Três da ninhada tinham probleminha nos olhos. A gente levou no veterinário, passou remédio, colírio. Quando ela falou sobre tirar os olhinhos, aí a gente ficou com muita dó. A gente falou que os que ficaram ceguinhos a gente ia ficar”, comentou Gisele.

Além das duas gatinhas, o casal resgata animais em situação de abandono e, após oferecer a eles os cuidados necessários, os disponibiliza para adoção. As informações são do portal G1.

“É um amor incondicional, eles são muito carinhosos”, afirmou a maquiadora.

Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Mais de 64 mil gatos viviam no Tocantins em 2017, segundo um levantamento da Secretaria Estadual de Saúde. O número, porém, pode ser muito maior, já que representa apenas os animais registrados na campanha antirrábica.

Raíssa Dias, por exemplo, tutela dois gatos. A avó dela, tem mais seis em casa e cuida de outros quatro que vivem em situação de rua. Pela residência tem arranhadores, potes com ração e água para os gatos. A família inteira tem um histórico de amor e respeito pelos animais.

“Gato é um animal de amor. Ao contrário do que as pessoas falam, gato gosta de carinho, gosta do tutor. Ele é um ser independente? É! Mas ele também tem sua forma de carinho, ele também tem sua forma de amar”, disse Raíssa.

Leia mais em: https://clubedosanimais.com.br/wp-content/uploads/2019/02/casal-adota-duas-gatas-que-ficaram-sem-olhos-apos-cirurgia.br/2019/02/casal-adota-duas-gatas-que-ficaram-sem-olhos-apos-cirurgia/.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.