Foto: Care2

Foto: Care2

Muitas pessoas não conhecem os nomes Ah Lin Tuch e Phoun Raty, mas em sua terra natal, o Camboja, no Vietnã, eles viraram manchetes de jornais e redes sociais por todos as razões erradas possíveis.

A equipe composta por marido e mulher tem enfurecido os cidadãos cambojanos depois que eles publicaram vídeos de si mesmos comendo e esfolando animais silvestres ameaçados e protegidos no Camboja pelo YouTube.

Lin Tuch e seu marido Phoun criaram um nome para si e conquistaram seguidores online na esperança de ganhar dinheiro com seus vídeos repugnantes. Até o momento, eles já fizeram 500 dólares por meio de anúncios patrocinados pelo Google.

O casal diz que não sabia que os animais estavam ameçados de extinção ou eram especiais, mas a ignorância não é desculpa, especialmente porque suas ações podem encorajar outros, principalmente os mais jovens, a fazer o mesmo.

Em um dos vídeos mais cruéis o casal come um raro gato pescador (Prionailurus viverrinus), espécie endêmica da Ásia. Em 2010, o gato foi listado pela IUCN como “ameaçado” de extinção e apenas recentemente foi caracterizado para “vulnerável”.

O casal também filmou a si mesmo esfolando, cozinhando e comendo lagartos, sapos e pássaros, incluindo uma grande e bela garça.

Enquanto o governo está investigando os incidentes, há mais uma maneira de garantir que os sonhos de Ah Lin Tuch e Phoun Raty de ganhar dinheiro com o abuso de animais nunca se concretizem.

Alguns usuários inconformados e compassivos estão pedindo ao YouTube para banir o canal desse casal da plataforma e garantir que ambos nunca mais possam lucrar com a matança de animais em extinção ou não.

Conheça mais sobre o Vietnã e sua rica biodiversidade

O Vietnã é um dos principais pontos de diversidade biológica do mundo, de acordo com uma pesquisa científica. Existem 30 parques nacionais em um país que é um pouco maior que o Novo México, e há tantos tipos de animais quanto nas prominentes savanas africanas do Quênia e Tanzânia.

As florestas do Vietnã abrigam duas dúzias de espécies de primatas – gibões, macacos, loris e langures, muitas vezes em cores que fazem a tribo humana parecer banal em contraste a eles.

Especialistas afirmam que a antiga floresta contém quase 2 mil espécies de árvores e entre elas vivem alguns animais incríveis e raros, incluindo o leopardo nebuloso, o langur de Delacour, civetas de Owston, lontras e ursos negros asiáticos. Corujas, esquilos voadores, loris, morcegos e gatos silvestres.

Infelizmente nesse país tão rico em biodversidade, os parques nacionais são basicamente apenas de fachada, e a caça (geralmente praticada por guardas florestais) e tem dizimado a vida selvagem, de acordo com informações do NY Times.

Suas populações selvagens, já cercadas pela destruição do habitat por uma população humana explodindo em números, também estão sendo fuziladas, capturadas e caçadas ao vivo de forma tão eficiente que os parques nacionais e outras áreas naturais são atualmente afetados pela “síndrome da floresta vazia”: de onde até mesmo pequenos animais e aves foram caçados até a extinção local. Outros países asiáticos estão em vários estágios da mesma convulsão. Costuma-se dizer que muitas novas espécies desaparecem antes que a ciência possa descobri-las.

Parte dessa carnificina acontece para alimentar a demanda nacional e internacional da medicina tradicional oriental no Vietnã e na vizinha China. Exemplos de um extenso catálogo de “remédios” incluem: pênis de tigre para impotência, bile de urso para câncer, chifre de rinoceronte para ressaca, bílis de loris (primata) para aliviar as graves infecções das vias aéreas que surgem da poluição do ar no Vietnã.

Mais motivos para o extermínio dos animais selvagens descobertos pelas pesquisas foi “a crescente demanda por carne silvestre em restaurantes urbanos, o que é uma questão de status”, disse Barney Long, diretor de conservação de espécies da ONG Global Wildlife Conservation.

“Este tipo de consumo não como a carne do mato onde os pobres estão caçando comida para sobreviver”, disse ele. “É um símbolo de status para levar funcionários de sua empresa ou colegas do governo para uma refeição da vida selvagem. E honestamente, isso acontece em uma escala que é incompreensível. Não estamos falando de uma ou duas espécies, mas comunidades inteiras de vida selvagem estão desaparecendo”.

Dessa forma as florestas do Vietnã com sua variedade biológica rara e preciosa perecem silenciosamente enquanto um genocídio animal se consolida exterminando espécies que muitas vezes jamais chegaremos a conhecer, vítimas indefesas da ganância, estupidez e maldades humana irrefreáveis.

Leia mais em: https://www.anda.jor.br/2019/05/casal-usa-canal-no-youtube-para-exibir-videos-de-animais-silvestres-sendo-mortos-esfolados-e-comidos-por-eles/#utm_source=rss&utm_medium=rss.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.