100 cães e gatos no Centro de Prevenção e Recuperação de Animais Domésticos (Cepread), em Blumenau, à espera de um lar. Com espaço para abrigar 20 animais, o lugar está superlotado. O excesso ocorre justamente por conta da dificuldade de encontrar um lar para os que estão recuperados.

— O objetivo do Cepread é focar na saúde dos animais que vivem em nossas ruas e até mesmo os que são vítimas de maus- tratos dentro de propriedades privadas. Queremos recuperar a saúde deles e encontrar um lar com adoção responsável — ressalta o novo diretor do Cepread, Luis Carlos Kriewall.

O veterinário assumiu o Centro de Proteção em dezembro e ainda está colocando a casa em ordem. Hoje o Cepread passa por reforma estrutural e física _ um pátio vai garantir qualidade de vida aos animais em recuperação _ e vai adaptar a rotina dos 14 funcionários às necessidades dos atendimentos que hoje passam de 300 ao mês. Outra missão do diretor foi reatar os laços com as Organizações não Governamentais (ONGs) de proteção animal de Blumenau e têm dado certo.

Além de protetores independentes, Hachi ONG, Associação Protetora de Animais de Blumenau (Aprablu), Sítio da Dona Lúcia e Focinho Feliz são parceiras do Centro de Prevenção.

— Tem muita gente fazendo trabalho voluntário e colaborando para que o Cepread funcione bem. Ainda temos algumas dificuldades com organização de equipe e falta de espaço, mas aos poucos estamos arrumando tudo. Contar com a ajuda da comunidade é muito importante para nós — conta Kriewall.

Segundo a diretora de comunicação da Aprablu, Evelin Huscher, a comunicação entre as ONGs e o Cepread ocorreu em sintonia com o Conselho Municipal de Bem-Estar Animal e tem dado bons resultados:

— Hoje existe uma abertura muito maior entre todos os protetores de animais e a administração do Centro de Proteção. É uma relação sincera onde as pessoas compartilham as dificuldades e tentam se ajudar. A superlotação do Cepread é algo antigo e todo mundo que faz este acolhimento em Blumenau está superlotado. Precisamos de políticas públicas para mudar esta situação — comenta.

Atualmente o Cepread acredita que há 3,8 mil animais vivendo nas ruas de Blumenau, muitos são abandonados durante as férias e outros nasceram nas ruas. A ideia do diretor do local é colocar em prática, em parceria com universidades locais, um censo canino que irá identificar regiões com maior concentração de cães.

> Que tal adotar?
Visite o Cepread na Rua Curt Klein, na Itoupava Central. Outra opção é acessar o portal do Centro de Proteção (blumenau.sc.gov.br/bemestaranimal) e entrar no link Quero Adotar um Animal.

:: Perguntas e respostas sobre o Cepread

Quais os animais atendidos?
Cães e gatos abandonados dentro do perímetro de Blumenau.

O que o Cepread faz?
Oferece atendimento médico veterinário para animais feridos, doentes, vítimas de maus-tratos ou em situação de abandono.

Qual o destino dos animais tratados?
São encaminhados para adoção ou devolvidos ao local de origem (animais comunitários).

Como você pode ajudar?
Em primeiro lugar, sabendo o que é a posse responsável. Gatos e cachorros necessitam de cuidados, comida e água fresca todos os dias e também de carinho e amor.

O que fazer ao encontrar animais em condições inadequadas?
Acione o Bem-Estar Animal, que dispõe de técnicos habilitados para remoção e tratamentos. Ao presenciar maus-tratos, denuncie. Ligue para a Ouvidoria da Secretaria de Saúde (3381-7770) ou acesse o portal do Bem-Estar Animal.

Fonte: Diário Catarinense

Foto: Patrick Rodrigues / Agencia RBS