Veja mais algumas curiosidades sobre os pinguins

No início das expedições ao Hemisfério Sul, quando os navegadores exploravam pelas primeiras vezes o continente e tentavam chegar ao Pólo sul a situação era muito precária. As embarcações eram lentas e eles não podiam levar muita carga, além disto, não havia conservantes e a tecnologia que conhecemos hoje, então não havia muita comida. Adivinha pra quem sobrava quando estes homens corajosos e famintos chegavam a Antártica? Para os animais que eles encontravam por lá, incluindo as aves e, como conseqüência, os pinguins. Seus ovos eram coletados e consumidos e os pinguins literalmente viravam “churrasquinho”. Tudo era aproveitado: a gordura, a pele, a carne; não sobrava nada. Muitas populações de pinguins foram reduzidas devido a esta atividade humana. Até os anos 80 ainda havia registro de consumo de pinguins por humanos, bem como o uso de suas peles para fazer luvas e bolsas.

Como os pinguins são aves extremamente adaptadas para a vida no mar quando estão em terra têm certa dificuldade para se deslocar. Eles resolvem isto facilmente quando estão na neve ou no gelo: eles deslizam de barriga, como se estivessem brincando de “tobogã”. Usam as aletas e as patas para se impulsionar. Assim ganham velocidade e percorrem muitos quilômetros como é o caso do pinguim-imperador durante o seu deslocamento para as áreas de reprodução no continente antártico e no retorno para o mar.

Fonte: How Stuff Works

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.

DEIXE UMA RESPOSTA