Foto : PETA/Arquivo

Foto : PETA/Arquivo

Donas de uma força poderosa e subversiva, as Drag Queens tem o poder de canalizar as atenções, seja atuando na vanguarda da luta por igualdade dentro e “fora do armário” ou na consciência pública. E de forma menos conhecida, porém ativamente atuante, também em defesa dos direitos animais.

A quebra de paradigmas e o desafio ao politicamente correto que estes artistas provocam abre portas para a queda de preconceitos e abertura de mentes.

Bom exemplos disso são o sucesso e a audiência dos programas RuPaul Drag Race All Stars já em sua quarta temporada, recentemente lançada e RuPaul Drag Race décima primeira temporada estreando essa semana.

Famosas por seu visual ousado, seus movimentos de dança diferenciados ou seu vestuário original, muitas dessas rainhas poderosas também usam seu espaço midiático para defender os animais. O próprio RuPaul, por exemplo, já foi capa do Guia de Compras Livre de Crueldade da PETA.

Drag Queens já eram ativas e parceiras da PETA e defensoras dos animais muito antes do show Drag Race atingir o sucesso e antes até mesmo da arte drag sair dos porões e se tornar um fenômeno de massa.

Foto : PETA/Arquivo

Foto : PETA/Arquivo

Drags lendárias como Lypsinka and Flotilla DeBarge já apareciam nas campanhas publicitárias da PETA, e Boy George, Elvira, Leigh Bowery, e outros ícones e aliados LGBTQIA já haviam se junta à causa em clubes pelo mundo por campanhas e shows itinerantes como “Fur Is a Drag” (Pele é uma Drag, na tradução livre), no qual drag queens usavam casacos de pele cobertos com tinta vermelha imitando sangue.

Seguem algumas drag queens que fizeram a diferença, não só apoiando os animais com palavras mas com sua imagem e ativismo:

LADY BUNNY

Colonel Sanders como Lady Bunny quando se juntou a campanha da PETA para denunciar a KFC por crueldade com aves.

Foto : PETA/Arquivo

Foto : PETA/Arquivo

SHARON NEEDLES

Na campanha #Throwback PETA com a famosa frase: “Comer não deveria custar um braço ou uma perna”.

COURTNEY ACT

Courtney conhecida como a “Drag Diva From Down Under” foi nomeada uma das celebridades veganas mais sexys de 2017 pela PETA Austrália.

Foto : Courtney Act/Instagram

Foto : Courtney Act/Instagram

Mesmo com sua agenda lotada Courtney é vegana declarada. Ela faz receitas veganas deliciosas em seu canal no YouTube.

HONEY LABRONX

Uma das finalista do concurso promovido pela PETA de vegana mais sexy, Honey LaBronx, se tornou vegana apenas um mês após iniciar suas apresentações como drag queen, há oito anos, um movimento que chocou sua família de fazendeiros produtores de laticínios de Winconsin (EUA). Agora sua turnê de shows arrecada fundos para organizações em defesa dos direitos animais pelos país, ela também apresenta o podcast “Big Fat Vegan Radio” e um programa de culinária vegana no You Tube além de promover a alimentação vegana na parada gay de Nova York e no festival de temática drag RuPaul´s DragCon

Foto: The vegan drag queen/Instagram

Foto: The vegan drag queen/Instagram

“Eu amo levar minha mensagem pelos direitos animais para lugares onde as pessoas não estão esperando por isso. A surpresa de assistir a uma drag queen dando lições sobre como cozinhar receitas veganas pode iniciar um novo diálogo que de outra forma poderia nunca acontecer”, conta LeBronx.

Leia mais em: https://clubedosanimais.com.br/wp-content/uploads/2019/03/drag-queens-fazem-a-diferenca-na-luta-em-defesa-dos-direitos-animais-anda.br/2019/03/drag-queens-fazem-a-diferenca-na-luta-em-defesa-dos-direitos-animais/.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.