Crédito: thelazypitbull.com

Por: Hadassah Zucoloto

As eleições 2018 estão cada vez mais próximas e, com isto, muitas pessoas procuram candidatos com propostas adequadas às suas convicções sociais, especialmente os ativistas dos direitos animais. Alguns grupos e páginas do Facebook iniciaram uma mobilização virtual com o objetivo de formar uma “bancada pet”, para que os animais tenham representantes políticos tanto em âmbito estadual quanto nacional.
A finalidade é eleger candidatos que ajudem a remodelar a atual legislação e garantam um número maior de leis a favor da fauna brasileira. Infelizmente, a luta em prol desta causa ainda é embrionária: entre os quase 30 mil aspirantes a cargos públicos, uma pequena parcela possui, em suas plataformas de governo, projetos relativos à defesa de bichos domésticos, preservação da vida selvagem ou relativos ao tema.
É importante lembrar que o sistema de transferência de votos não elege apenas os mais votados, mas também outros candidatos de sua coligação. Por isso, é interessante analisar o contexto geral e compreender o histórico dos partidos envolvidos.

Deputados estaduais:
Marcell Moraes (PSDB) – Bahia
O candidato é intitulado, em suas redes sociais, como “protetor dos animais”. Marcell luta a favor da proibição do uso de animais como cobaias, criação de espaços reservados para animais em praças públicas, vacinações múltiplas para cães, proibição da eutanásia como método de controle populacional de cães e gatos, medidas impeditivas de acesso de animais silvestres a fios de alta tensão, entre outros. Seu número é 45000.

Adriana Pierin (PODE) – São Paulo
Fundadora da ONG Move Institute, que desenvolve trabalhos de comunicação e conscientização em prol dos animais por meio da moda e do design. Adriana criou a chamada bancada vegana e garante que, caso eleita, promoverá mudanças reais para favorecer a causa animal na Assembleia Legislativa. Seu número é 19269.

Carolina Mourão (AVANTE) – Distrito Federal
Conhecida como “Carol dos Animais”, a candidata é jornalista e ativista da causa. Defende o fim da exploração econômica animal e da “coisificação” dos bichos, pretendendo abolir a comercialização e o uso de animais para fins lucrativos. Antes de tentar entrar para o meio político, Carolina assessorou a Frente Parlamentar em Defesa dos Animais e a Comissão de Meio Ambiente da Câmara e do Senado. Seu número é 70070.

Jooji Hato (PMDB) – São Paulo
Candidato à reeleição, Jooji é autor do projeto de lei que ajudou a criar a delegacia que investiga maus-tratos aos animais. Além disso, ele atua no resgate de cães e gatos de rua e defende a implantação de um “disque-denúncia” para proteção e intervenção em abuso contra bichos domésticos. Seu número é 15622.

Georgia Faust (PSOL) – Santa Catarina
Além de feminista e lutar pela igualdade de gênero, Georgia determina a proteção dos animais e o veganismo como suas prioridades de campanha. Dentre as principais propostas, estão: criar um projeto de lei que proíba o transporte de carga viva, criar a Secretaria Estadual do Bem-estar Animal e a fiscalização dos centros de zoonose do estado. Seu número é 50050.

Feliciano Filho (PRP) – São Paulo
Feliciano define-se como 100% dedicado aos animais e é um dos principais nomes da causa. Seu slogan diz que é o “número um no mundo em leis e ações de proteção animal”. Enquanto ativista, realizou mais de três mil resgates e hoje atua na frente política para defender leis e projetos que acabem com a tortura animal. O candidato criou diversas leis que beneficiam os bichos, inclusive uma delas leva seu nome e proíbe a matança indiscriminada de cães e gatos nos canais municipais. Também é autor da Lei Antitestes, que proibiu o uso de animais em testes de produtos cosméticos, de higiene pessoal e perfumes. Seu número é 44444.

Angela Protetora (PMDB) – São Paulo
Como sugere o nome de campanha, Angela é protetora e atua no resgate de animais de rua. Sua proposta é chegar à Assembleia Legislativa para lutar em prol das causas animais, como: castração em cidades, abrigos supervisionados para que cães e gatos para que eles não sejam abandonados nas instituições, fim definitivo da amarração em correntes, entre outros. Seu número é 15022.

Paulo Guilherme Pinguim (PODE) – Rio de Janeiro
O líder da Divers for Sharks, organização que luta pela preservação dos tubarões, atua na defesa das águas, mares, oceanos, vida marinha e luta contra a degradação ambiental. Pinguim propõe a criação da Força Tarefa Ambiental e Animal do Rio de Janeiro para investigar e processar crimes animais e ambientais e “para que a destruição do meio ambiente e o sofrimento animal tenham um fim”, como sugere o slogan de campanha. Seu número é 19101.

Carol Stein (PSD) – São Paulo
A candidata defende causas animais em geral, como a abolição da utilização de animais em rodeios e da caça legal de animais marítimos. Carol também defende o fim dos zoológicos, que chama de “presídio de inocentes”, e do aprisionamento das espécies. Também realiza ativismo em território nacional, especialmente nas redes sociais, por ações em prol dos animais e contra quaisquer tipos de maus-tratos. Seu número é 55090.

Giovanna Tripoli (PSDB) – São Paulo
A família Tripoli é famosa por todo o seu ativismo em prol dos animais. Giovanna, filha de Ricardo Tripoli, luta contra o uso de animais em testes, pesquisa científica e uso didático. Seu principal objetivo é investir em métodos substitutivos ao uso de qualquer tipo de bicho e promete elaborar leis e políticas públicas que protejam os animais. Seu número é 45145.

Thais Tostes (REDE) – Rio de Janeiro
Thais não só atua como ativista dos direitos animais, mas também participa de frentes de resgate, cuidado e proteção de bichos de rua. Coordena um dos maiores santuários de animais da América Latina: o Santuário Salvando Vidas. Levanta a bandeira da libertação total e o fim da exploração animal. Seu número é 18108.

Sandra Capucho (PODE) – São Paulo
Entre os diversos projetos que Sandra apresenta para beneficiar os animais está a criação de políticas públicas em prol da saúde de cães e gatos. Também defende a implantação de um Serviço de Atendimento Móvel de Urgência Animal, de Unidades Básicas de Saúde Animal e hospitais veterinários públicos. Pretende reduzir impostos de rações e medicamentos animais, além de criar um cadastro de protetores animais, proibir rodeios, entre outros. Seu número é 19197.

Deputados Federais:
Adriana Araújo (PSOL) – Minas Gerais
Idealizadora e coordenadora do Movimento Mineiro pelos Direitos Animais (MMDA), Adriana atua há mais de 20 anos no ativismo animal e em movimentos socioambientais. Foi uma das responsáveis pela recente proibição de testes de cosméticos em animais. Denomina-se “a voz dos animais” na Câmara dos Deputados. Seu número é 5022.

Danilo Manha (PRP) – São Paulo
O objetivo principal de Danilo Manha é lutar por penas mais rigorosas para maus-tratos a animais, aumentando a proteção. Também pretende ampliar a Delegacia Eletrônica de Proteção Animal para todo o território nacional, facilitando as denúncias. Danilo defende o fim do uso de animais em instituições de ensino, incentivo fiscal para doações às ONGs de proteção da fauna e a dedução no Imposto de Renda de gastos com veterinários para os donos de pets. Seu número é 4444.

Ana Rita Tavares (PBM) – Bahia
Ana Rita Tavares é ativista do movimento humanitário pró-animal há mais de uma década. Luta pelos direitos dos animais em conjunto com ONGs e protetores interdependentes, e, durante este período, já realizou resgates de animais vítimas de violência e maus tratos. Entre seus projetos estão a criação de um hospital público veterinário, do serviço de castração nos bairros e da Delegacia Especial de Proteção aos Animais. Seu número é 3535.

Karina Somaggio (PODE) – São Paulo
Karina participa da ONG Abraço Animal e atua em resgates de animais que sofrem maus-tratos. Seu objetivo é defender uma sociedade mais humanitária, onde os Direitos dos Animais são respeitados. Luta contra o embarque de bois em navios e combate o comércio ilegal de animais silvestres. Entre as principais propostas estão: implantar o Programa Federal de Cuidados Veterinários para a população de baixa renda, proibir carroças e charretes no Brasil, e colocar um fim nos zoológicos e na utilização de animais em circos, além da regulamentação do protetor de animais como profissão, entre outros. Seu número é 1909.

Eliane Carmanim (PSOL) – Rio Grande do Sul
A candidata é idealizadora do Núcleo de Antiespecismo do PSOL, focado no debate sobre a libertação animal. Pretende incentivar o veganismo e diminuir os índices de abate de animais para consumo. Ativista e defensora dos bichos, em seu slogan, promete “justiça e igualdade para quem não tem voz”. Seu número é 5057.

Rubens Tripoli (PSDB) – São Paulo
Rubens pretende estender a implantação de hospitais veterinários públicos para todo o Brasil. Outro projeto é expandir a proibição do uso de animais – como cavalos, burros e mulas – em charretes e meios de transporte e atuar na Câmara dos Deputados em prol dos Direitos dos Animais. Seu número é 4565.

João Valois (PMB) – Rio de Janeiro
Criador da página “Cadeia para quem maltrata os animais” no Facebook, o candidato luta pelo fim da exportação de animais vivos por vias fluviais, caça legalizada, testes em bichos, vaquejadas, entre outros. Além de ser contra qualquer tipo de exploração animal. Seu número é 3588.

Luli Sarraf (AVANTE) – São Paulo
A candidata participa do ativismo animal há 10 anos. Uma de suas principais iniciativas foi a fundação do projeto Celebridade Vira-Lata, que realiza resgates, castrações de cães e gatos, promove adoções e desenvolve atividades como palestras, exposições e eventos com foco educacional sobre bichos domésticos. Seu número é 7004.

Rubenice Martins (PRP) – Pará
Rubenice candidatou-se para lutar pelos Direitos dos Animais e combater o descaso público com a causa. É protetora, realiza resgate e cuida de cães e gatos de rua. Em propaganda, afirma: “os bichos não falam, não conseguem se defender, mas eu posso fazer isso por eles. Vivo meu cotidiano em completa dedicação, dia e noite, ao ativismo”. Seu número é 4405.

Senadores:
Duda Salabert (PSOL) – Minas Gerais
Além de ser a primeira candidata travesti a pleitear uma vaga no senado federal na história do Brasil e defender as causas LGBT, Duda é vegana e defende cegamente as causas ambientais. Seu número é 500.

Ricardo Tripoli (PSDB) – São Paulo
Em sua carreira política, Ricardo lutou pelo fim da perseguição de animais em rodeios, transporte marítimos e objetificação de animais, entre outros. Solicitou a implantação da Política Nacional de Proteção à Fauna junto ao Ibama. Recentemente, recebeu do instituto uma medalha de mérito ambiental. Além disso, é dele o projeto que regulamenta a guarda compartilhais de bichos de estimação em caso de divórcio. Seu número é 450.

Presidente:
Marina Silva (REDE)
A candidata é ambientalista e já atuou como Ministra do Meio Ambiente, defendendo o bem-estar dos bichos e a celebração da Declaração Universal dos Direitos dos Animais. Seu candidato a vice-presidente, Eduardo Jorge (PV), luta a favor da Libertação Animal e defende que o governo deve incentivar a alimentação vegetariana e vegana. O número da coligação é 18.

Ciro Gomes (PDT)
A “criação de política de proteção aos animais” é mencionada no item 3.15 do plano de governo do candidato. Em entrevista, Ciro reconheceu que a causa animal é uma questão muito importante, mas, em contrapartida, sua vice Kátia Abreu (PDT) é pecuarista – ou seja, 0% “amiga dos animais”. O número da coligação é 12.

Se você é candidato, defende os direitos animais e diz isso abertamente em suas mídias sociais, envie um e-mail para o nosso site para colocarmos o seu nome aqui.

Via: Central da Pauta.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.