A T. Hasegawa Co., empresa multi milionária, uma das líderes na indústria de essências e fragrâncias, se comprometeu a banir todos os tipos de testes em animais.

O posicionamento da companhia japonesa veio como resposta aos pedidos da ONG em defesa dos animais PETA para que ela parasse de mutilar, torturar e desnutrir ratos nos experimentos cruéis a que eles eram submetidos – tudo isso sob alegações de “medidas de saúde” questionáveis sobre seus produtos.

Entre as práticas comuns na empresa estavam: cortar os nervos olfativos dos ratos, deixá-los sem comida, alimentá-los com uma mistura de aminoácidos muito semelhante à caldo de peixe seco e forçá-los a participar de testes comportamentais confusos e estressantes.

Na carta endereçada à companhia, a PETA explicita que em todos os experimentos os ingredientes utilizados não levantam nenhum tipo de preocupação com intoxicação, já que são produtos usados normalmente nas cozinhas.

Reprodução | PETA

Então os procedimentos poderiam ter sido conduzidos tranquilamente com humanos. Na realidade, esses mesmos experimentos já foram feitos anteriormente, então são completamente desnecessários, além de não serem requeridos por lei.

Que mais empresas sigam o exemplo da T. Hasegawa Co. – e muitas outras como General Mills, House Foods, Barilla, Kikkoman, Yakult Honsha, The Coca-Cola Company, PepsiCo, Lipton, ITO En, Ocean Spray, Welch’s e POM Wonderful – e, em conjunto com a PETA, entrem na luta para acabar com a exploração dos animais em testes desnecessários.

Leia mais em: https://www.anda.jor.br/2018/06/empresa-multi-milionaria-t-hasegawa-co-diz-que-ira-acabar-com-testes-em-ratos/.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.