Dezenas de ativistas invadiram, na madrugada desta sexta-feira (18), o laboratório do instituto Royal, em São Roque (SP), e levaram vários animais do complexo, informaram a Guarda Municipal da cidade e a Polícia Militar (PM) da região. A manifestação foi motivada por suspeitas de maus-tratos aos bichos no local.

Veja a cronologia do caso:

22/09 – manifestantes de uma ONG organizaram ato contra testes realizados em cães da raça Beagle, em São Roque. Eles alegavam que os animais eram utilizados em experimentos para produtos farmacêuticos pelo Instituto de Pesquisa Royal.

12/10 – ativistas se acorrentaram em frente à sede da empresa como protesto. Eles prometiam ficar no local até terem uma lista de reivindicações atendidas. Representantes do laboratório conversaram com manifestantes, mas, segundo uma das organizadoras do protesto, Jane Santos, não houve acordo. “Nós conversamos com eles e fomos atendidos, tivemos um diálogo, mas eles disseram que não pretendem atender nenhuma das reivindicações, por isso continuaremos aqui, sem prazo para ir embora”, disse na ocasião.

17/10 – reunião com a presença de ativistas dos direitos dos animais, funcionários da prefeitura e representantes do laboratório foi cancelada porque a empresa informou que, por segurança, não mandaria um representante. No fim da noite, a Polícia Civil de São Roque informou que registrou um boletim de ocorrência sobre a denúncia de maus-tratos.

18/10 – o movimento ganhou adesões após boatos de que a empresa estava preparando a retirada e o sacrifício dos animais, depois que três vans e um caminhão de pequeno porte entraram no laboratório durante a tarde do dia anterior. Na madrugada, ativistas invadiram o laboratório e retiraram vários animais do local.

Saiba como e por que ocorreu a invasão

Dezenas de ativistas derrubaram um portão e invadiram, por volta das 2h desta sexta-feira (18), o laboratório do Instituto Royal, em São Roque, a 59 km de São Paulo. Eles levaram em carros próprios dezenas de animais que estavam no complexo, segundo a Guarda Municipal da cidade e a Polícia Militar, motivados pelas suspeitas de que os bichos sofriam maus-tratos no local.

Os manifestantes acusam o instituto de maltratar cães da raça beagle usados em pesquisas e testes de produtos cosméticos e farmacêuticos, além de usar no trabalho também coelhos e ratos. Segundo os ativistas, uma denúncia anônima havia alertado que os cães estariam sendo sacrificados desde as 14 de quinta (17) com métodos cruéis e que os corpos estariam sendo ocultados em um porão.

Manifestantes disseram que o laboratório tinha mais de 200 animais. O protesto que reuniu cerca de 120 pessoas no local teve início às 20h de quinta, ganhando maior adesão no fim da noite. Os ativistas ficaram em frente ao prédio durante a madrugada, quando houve a invasão.

Segundo relatos dos ativistas, foi possível ouvir latidos supostamente de dor de cães. No fim da noite de quinta, a Polícia Civil de São Roque informou que registrou boletim de ocorrência sobre a denúncia de maus-tratos.

O protesto acontece desde sábado (12), mas ganhou adesões nesta quinta por causa de boatos de que a empresa estava preparando a retirada e o sacrifício dos animais, depois que três vans e um caminhão de pequeno porte entraram no laboratório durante a tarde. Os manifestantes cercaram o complexo e tentaram vistoriar veículos do laboratório. Houve um princípio de confusão porque um dos motoristas da empresa se negou a abrir o carro.

Uma reunião estava marcada para o fim da tarde de quinta-feira, com a presença de ativistas dos direitos dos animais, funcionários da prefeitura e representantes do laboratório. O encontro foi cancelado porque a empresa informou que, por segurança, não mandaria um representante.

Confira um vídeo do resgate dos primeiros animais do Instituto Royal:

Como ajudar

Por agora, o que importa é que os cachorros estão a salvo. Porém, os animais têm chips de identificação e há uma ordem judicial para pegá-los dos ativistas e devolver ao espaço. O imbróglio entre os protetores e o instituto deve ir longe. Parte dos salvadores criou uma página no Facebook, a Adote um Animal Resgatado do Instituto Royal, em que atualizarão informações sobre a adoção quando tiverem a permissão para isso. Se você estiver interessado, fique ligado!

Tem até um vídeo que mostra a alegria dos beagles soltos, andando para lá e para cá com o rabinho abanando. Assista aqui.

Atualizaremos o post se obtivermos mais informações sobre o caso.

Fonte: Globo.com e Veja SP.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.

DEIXE UMA RESPOSTA