Após 24 deputados apoiarem a proposta de emenda apresentada à Assembleia Nacional, a líder do movimento, Barbara Pompili, descreveu a medida como uma grande vitória coletiva. Ela acrescentou que a redução da carne nas escolas é um passo à frente para o meio ambiente e saúde dos jovens. “Precisamos que as escolas desempenhem um papel no ensino das crianças sobre uma boa comida”, disse Pompili refutando o mito de que para se ter uma dieta equilibrada é necessário consumir carne.

Comida vegana é disponibilizada em escolas na França

Crianças terão disponível comida de origem vegetal.

A princípio, o governo francês e as empresas que fornecem a comida irão monitorar o impacto do novo menu vegetariano no desperdício de alimentos, o custo das refeições e o número de alunos que aceitam o esquema. Os resultados serão reportados seis meses antes do término do experimento.

O ministro da Agricultura, Stéphane Travert, opôs-se às mudanças. Defendendo a indústria da carne, ele comentou que a lei não deveria intervir nas escolhas alimentares.

Em todo o mundo, muitas escolas também estão apoiando refeições à base de legumes e verduras. Segundo o site Livekindly, no ano passado, todas as 1.200 escolas públicas na cidade de Nova York lançaram uma iniciativa para oferecer diariamente uma opção de almoço escolar vegano e 15 escolas do Brooklyn adotaram o programa Meatless Monday (Segunda-feira sem carne) para proporcionar aos alunos almoços escolares vegetarianos uma vez por semana. O Centro de Aprendizagem Tiaki Early, localizado na cidade de Rotorua, na Nova Zelândia, ganhou uma Comissão Nacional para o Prêmio UNESCO Global Citizenship Education (Educação de Cidadania Global), por seu cardápio totalmente vegano.

Na França, a Assembleia também votou pelo fim do uso de recipientes de plástico descartável em cantinas de escolas e universidades. Elogiando este compromisso com a saúde pública e observando as substâncias perigosas encontradas no plástico, Pompili ressalta que o objetivo é proteger a população francesa contra eventuais riscos à saúde.

Leia mais em: https://www.anda.jor.br/2018/09/escolas-francesas-servirao-refeicoes-sem-carne-uma-vez-por-semana/.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.