Para ajudar os tutores que buscam melhorar a qualidade de vida dos pets, Alexandre Merlo indica quais são as causas mais comuns de alergias e coceiras

Cada vez mais os cães ganham um espaço considerável nos lares das famílias brasileiras. Com este aumento de afeto, os níveis de preocupação e cuidados também se elevam. Neste sentido, as clínicas veterinárias passam a receber mais animais nos atendimentos dos mais diversos tipos de situações. Contudo, de acordo com uma pesquisa feita pela companhia global de saúde animal, Zoetis, a coceira em cães é um problema frequente e aflige, pelo menos, 40% dos animais que vão ao veterinário.

“Os tutores no Brasil veem os animais como membros da família e, por isso, têm buscado cada vez mais informações e atendimento especializado”, afirma o Gerente Técnico de Animais de Companhia da Zoetis, Alexandre Merlo. Ainda segundo a pesquisa desenvolvida pela empresa, 63% dos 400 clínicos gerais entrevistados, informam que de três a cinco consultas diárias são relacionadas a doenças dermatológicas.

De uma maneira geral, 85% dos profissionais consultados afirmam que a procura por especialistas em doenças de pele aumentou consideravelmente. Para ajudar os tutores que buscam melhorar a qualidade de vida dos pets, Alexandre Merlo indica quais são as causas mais comuns de alergias e coceiras e explica como os donos podem ajudar os seus melhores amigos de patas.

Especialista orienta sobre 5 cuidados para prevenir a coceira em cachorros

Foto: depositphotos

Problemas de pele em cachorro: o que causa e como prevenir?

Alimentos

A alimentação do cachorro deve suprir todas as necessidades nutricionais do animal, independentemente se ela é feita com base em ração ou em uma Alimentação Natural (AN). Porém, em alguns casos, cães podem apresentar alergias decorrentes do consumo de alguns tipos de carnes ou produtos derivados do leite.

“Além das alergias, caracterizadas pela coceira, existem as chamadas intoxicações alimentares, em que se observam vômitos e diarreia com sangue – esses casos podem trazer complicações importantes, com necessidade de medicações injetáveis e até internações”, comenta o especialista. Por esta razão, o mais indicado é procurar um especialista em alimentação canina e compor uma refeição apropriada para as necessidades e limitações do cachorro.

Produtos de limpeza e cosméticos

Muitos dos produtos comercializados hoje em dia possuem composições químicas. Esses elementos podem conter agentes alergênicos para os cães e, com isso, causam não só irritação na pele, mas também casos de intoxicação. “Alguns deles podem causar dermatites de contato, queimaduras na pele e sintomas de intoxicação por inalação. Além disso, xampus inadequados e perfumes fortes também podem trazer riscos aos animais”, explica o Gerente Técnico de Animais.

Sendo assim, Alexandre recomenda armazenar os produtos de limpeza em um lugar fora do alcance do cachorro e usá-los apenas quando o animal não estiver presente. Além disso, o especialista orienta que os tutores conversem com os veterinários antes de escolher os produtos de banho e pós-banho para os cachorros.

Poeira

“O pó pode causar alergias nos animais devido à presença de ácaros microscópicos, sendo a coceira um dos principais sintomas. Às vezes, o tutor acredita que a causa pode ser a picada de pulgas ou de outros parasitas, mas na verdade é um quadro alérgico que afetou a pele por causa de ácaros de poeira”, justifica Alexandre.

Desta forma, se faz necessário manter os ambientes limpos, principalmente os locais onde o animal gosta de ficar pela casa. E vale ressaltar que este tipo de higienização inclui a limpeza em tapetes, cobertores, cortinas, sofás, camas e todos os demais objetos que podem abrigar a poeira e, claro, os ácaros.

Ectoparasitas

As pulgas e carrapatos são chamados de ectoparasitas, pois sobrevivem do hospedeiro, mas do lado externo do indivíduo. Portanto, a única forma de evitá-los é seguindo as orientações do veterinário a respeito de remédios que combatam estes parasitas, conforme explica o especialista. “Mas, se as picadas de pulgas e carrapatos desencadearem um quadro alérgico no animal, procure um veterinário. Existem medicamentos que podem controlar a coceira até que os parasitas sejam eliminados.”

Pólen

O especialista também alerta os tutores a respeito das plantas, pois elas podem causar alergias aos animais. Além das que causam alergias, outras podem ser extremamente tóxicas aos cães, como “comigo-ninguém-pode” e azaleia. Sendo assim, estas plantas devem ser mantidas fora do alcance do cachorro, evitando não apenas coceira, mas também vômitos, diarreia e outros sintomas.

Fonte Oficial: http://www.clubeparacachorros.com.br/tabombando/especialista-orienta-sobre-5-cuidados-para-prevenir-coceira-em-cachorros/.