Uma investigação científica que mobilizou cientistas de diferentes países foi publicada e alerta sobre as espécies mais vulneráveis aos efeitos da mudança climática. Trata-se de um conjunto de orientações sobre como avaliar quais animais estão mais expostos.

O artigo da União Internacional para Conservação da Natureza (IUCN) aponta como a comunidade científica pode realizar avaliações assertivas levando em conta aspectos de cada espécie e como o clima influi sobre ela. Os dados identificariam os graus de vulnerabilidade e como direcionar objetivamente os esforços de conservação.

Espécies mais vulneráveis precisam ser identificadas | Foto: Pixabay

Os parâmetros atuais de vulnerabilidade tendem a olhar mais para animais em áreas limite. Porém, os 18 autores do documento entendem a necessidade de observar com atenção espécies decaindo em número ou distribuição pelos territórios.

Em 2016 o primeiro caso de extinção diretamente ligado à alteração climática do planeta. O rato cauda de mosaico Bramble Cay, mamífero que vivia perto da costa da Austrália, foi o primeiro mamífero a sucumbir.

Leia mais em: https://www.anda.jor.br/2018/10/especies-ameacadas-pela-mudanca-climatica-precisam-ser-identificadas/.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.