Equipe de técnicos e bombeiros faz operação para retirada de rede de emalhe de filhote de baleia-franca em Garopaba na tarde desta quinta-feira (23) (Foto: Associação R3 Animal/Divulgação)

O filhote de baleia-franca que estava preso em uma rede de emalhe teve o objeto retirado por uma equipe de técnicos e bombeiros em Garopaba, no Sul do estado, informou a Associação R3 Animal. O grupo conseguiu fazer o corte da malha. O filhote aparentava estar cansado, conforme o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

O animal foi visto pela primeira vez com a rede em Florianópolis na quarta (22), na praia do Pântano do Sul. Nesse dia, a equipe já tentou fazer a retirada do objeto, mas não foi possível. Na manhã desta quinta, o filhote foi novamente visto, desta vez na Praia Central de Garopaba. Ele foi avistado por pescadores.

O mamífero, que tem entre cinco e seis metros, estava acompanhado da mãe, que tem 14 metros de comprimento. A proximidade dela, que tentava proteger o filhote, dificultou o trabalho da equipe.

Duas embarcações, uma da Polícia Federal e outra de pescadores, foram usadas no resgate. A equipe se aproximou do filhote com um bote do Corpo de Bombeiros. Segundo a associação, foram necessárias três horas de trabalho para que a rede fosse cortada e removida totalmente.

Rede que estava presa a filhote de baleia-franca em Garopaba (Foto: Associação R3 Animal/Divulgação

Como ajudar

A associação orienta que, caso encontre um animal marinho encalhado, telefone para a organização através do número 0800 642 334. Não force o animal a voltar para a água. Se possível, ajude a isolar a área e manter pessoas e animais domésticos afastados.

Caso ele esteja preso à rede dentro d’água, não se aproxime. A presença de embarcações pode estressar ainda mais o animal.

Fonte: G1

Leia mais em: https://www.anda.jor.br/2018/08/filhote-de-baleia-franca-que-estava-preso-em-rede-e-resgatado-em-garopaba-sc/.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.