Nesta segunda-feira, duas famílias vizinhas na Inglaterra se assustaram com um barulho estranho e repetitivo vindo do lado de fora de suas casas. Quando olharam pela janela, avistaram um filhote de cervo preso, de cabeça para baixo, entre as paredes que separavam os seus lares.

Reprodução | Express

Localizadas na cidade de Watford, parte do condado de Hertfordshire, as construções seguiam a arquitetura vitoriana, muito comum na região: bem próximas uma da outra, deixando um espaço de respiro de cerca de 10 cm – onde o animal ficou agarrado.

O som que ouviam de suas casas era o do pobre cervo se debatendo contra as paredes, enquanto se contorcia e lutava incansavelmente tentando se libertar. Eles resolveram então ligar para a Royal Society for the Prevention of Cruelty to Animals (RSPCA), organização sem fins lucrativos do Reino Unido que geralmente lida com situações difíceis de resgate de animais.

Quando Jaime Godfrey, inspetor da RSPCA, chegou ao local, mesmo com toda a experiência adquirida em anos de trabalho, ele achou a situação bastante inusitada. “Eu não tenho ideia de como ele conseguiu ficar assim de cabeça para baixo – foi bizarro”, disse em entrevista ao Express, jornal local.

O que não assustou o inspetor foi a espécie do animal. Cervos Muntjac são originários do sul da Ásia, mas eram animais domésticos muito populares nas épocas vitoriana e georgiana na Inglaterra. Uma pequena população selvagem continua na região depois que eles escaparam do palácio inglês Woburn Abbey, na década de 1920.

Reprodução | Express

Passado o momento de espanto, a equipe de resgate começou a trabalhar. “Olhando de cima para baixo para a estreita abertura, consegui usar uma pinça para agarrar com cuidado o cervo e ao poucos puxá-la para cima e para fora do espaço”, conta Godfrey.

Depois do resgate bem sucedido, a filhote de cervo foi analisada e, de acordo com o inspetor, ela sofreu algumas lesões externas e arranhões, mas milagrosamente não teve nenhum ferimento grave.

“Ela estava compreensivelmente extremamente angustiada e assustada, então decidi soltá-la o mais rápido possível”, diz o inspetor para explicar o motivo de ter soltado o pequeno cervo tão cedo. Logo depois de salva, ela foi levada para perto de Cassiobury Park, onde foi libertada.

“A melhor parte do trabalho é assistir os animais correndo para a natureza, onde eles pertencem, depois de uma situação tão estressante”, acrescenta Godfrey. “É uma ótima sensação saber que consegui salvar uma vida.”

A RSPCA é uma associação que existe no Reino Unido desde 1824, criada para promover o bem-estar dos animais. Desde então, ela investiga casos de abuso e exploração, participa de resgates, e busca lares temporários ou definitivos para animais. Já se expandiu para outras regiões e continentes.

Leia mais em: https://www.anda.jor.br/2018/07/filhote-de-cervo-fica-preso-de-cabeca-para-baixo-entre-duas-casas/.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.