Foto: Caters News Agency

Imagens raras flagraram um filhote de leão branco, que esta entre os únicos 11 que restaram na natureza, caminhando e se divertindo por um parque nacional na África do Sul.

A cena incrivelmente rara foi capturada no Parque Nacional Kruger em dezembro de 2018.

Ramsay Horton gravou o vídeo e tirou as fotos enquanto visitava a reserva.

O clipe mostra um leão conduzindo um grupo de filhotes através do um leito seco de um rio.

Enquanto os filhotes brincam, um pequeno leão branco se junta a eles trotando pela areia.

Eles correm e desfrutam do cenário natural, como se ja estivessem acostumados a ir e explorar a grama.

O grupo de filhotes parece muito unido enquanto todos se movem juntos e brincam no parque.

Imagens mostram os filhotes relaxando e o leão branco brincando com seus irmãos em uma cena extraordinária e bela.

Foto: Caters News Agency

O Kruger National Park, uma das maiores reservas da África, tem uma densidade muito alta de animais selvagens, incluindo leões, leopardos, rinocerontes, elefantes e búfalos.

O Whitelions.org diz que os leões brancos podem ser encontrados em estado selvagem somente na região de Timbavati, na África do Sul.

Eles vivem em savanas e caçam como outros leões, segundo o World Atlas.

Foto: Caters News Agency

O leão branco é classificado como “Vulnerável” pela União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN).

O que são leões brancos?

Muitas pessoas acreditam que leões brancos são na verdade albinos, o que não é verdade. Eles também não são uma espécie diferente de leão. Sua condição é conhecida como “leucismo”, uma ocorrência geneticamente rara em que uma mutação recessiva no gene faz com que o pelo do leão varie de quase branco a loiro, em vez do tom bege mais comum.

Foto: Caters News Agency

Alguns leões albinos, em contraste aos brancos, carecem completamente de pigmento, enquanto leões leucísticos mostram características negras na ponta do nariz, manchas pretas atrás das orelhas e têm a aparência de “delineador” em torno de seus olhos azuis ou dourados.

Um filhote nasce branco apenas se ambos os pais carregarem o gene “branco” recessivo. Como resultado, há casos em que haverá uma mistura de filhotes de leões clássicos (pelagem bege avermelhada) e filhotes de leão brancos nascidos na mesma ninhada. Fica mais fácil entender ao pensar nisso como uma situação semelhante aos seres humanos com olhos azuis; é, simplesmente, tudo definido pelos genes.

Foto: Caters News Agency

Cientificamente, o leão branco é resultado de uma raridade genética, mas em uma narrativa cultural, eles significam muito mais.

O rei de todos os reis

Na região de Timbavati, na África do Sul, onde o leão branco foi descoberto pela primeira vez, as comunidades Sepedi e Tsonga consideram-no “o animal mais sagrado do continente africano”. Embora um avistamento tenha sido registrado pela primeira vez em 1938, os registros orais africanos contam uma história completamente diferente.

Os sumos sacerdotes africanos, conhecidos como isanusi, contaram muitas histórias de cerca de 400 anos até a época em que a rainha Numbi reinou. O leão branco era então, e ainda é, considerado divino, um enviado dos céus.

O que deu errado?

Quando leões brancos foram vistos pela primeira vez por europeus, sua raridade criou uma agitação que deu origem a décadas de caça e captura se seguiram. O pool genético de leões brancos acabou sendo completamente destruído devido a remoções forçadas e caça de troféus. Os leões brancos foram colocados em zoológicos e criados especialmente em cativeiro.

Foto: Caters News Agency

Não foi apenas o entretenimento humano que manteve essas criaturas em cativeiro, foi também a ignorância. Conservacionistas influentes na época pensavam que leões brancos eram geneticamente inferiores a outros leões e que sua aparência branca de alguma forma impactava sua segurança e sobrevivência na natureza.

No entanto, não há evidências científicas para provar isso. Os leões brancos são igualmente fortes e caçam tão bem quanto seus irmãos de pelagem bege. Foi até sugerido que o pelo branco realmente os ajuda quando caçam, já que sua cor incomum confunde suas presas.

Então, onde eles estão agora?

Embora listado como “vulnerável”, não há leis oficiais que protejam os leões brancos dos efeitos da indústria de “caça enlatada” ao leão. Por causa disso, a luta pela sobrevivência continua para esses belíssimos animais.

O leão branco foi introduzido com sucesso em certas áreas da natureza. Na África do Sul, eles vagam livremente nas partes do sul do Parque Nacional Kruger e na região de Timbavati, suas terras ancestrais.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

Leia mais em: https://www.anda.jor.br/2019/08/filhote-de-leao-branco-e-flagrado-brincando-em-reserva-natural/#utm_source=rss&utm_medium=rss.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.