ONGs rvelam que o processo de obtenção do foie gras causa extremo sofrimento | Foto: Animal Equality

Restaurantes e mercearias podem receber uma multa de até 2 mil dólares se infringirem as novas regras vigentes na cidade.

O Conselho da Cidade de Nova York votou ontem a aprovação de uma nova legislação que proibirá a venda de foie gras – o patê de fígado de ganso que é obtido por meio do sofrimento de aves que são alimentadas à força, até que seu fígado infla o suficiente para que elas possam ser mortas.

A proibição, que entrará em vigor em 2022, segue regras semelhantes na Califórnia, que proibiu a venda do produto há vários anos por questões de bem-estar animal.

Reclamações

Alguns criticaram a decisão, como o fornecedor de alimentos gourmet D’Artagnan que divulgou uma declaração dizendo: “A premissa desta legislação de que o processo é desumano não é apoiada por fatos ou pesquisas – nenhum membro do Conselho fez qualquer esforço para aprender sobre esse processo e todos se recusaram a visitar as fazendas para assistir em primeira mão”.

“Uma proibição de foie gras na cidade de Nova York custará a mais de 400 trabalhadores imigrantes seus empregos e chances no sonho americano. Se o tratamento humano for realmente o problema aqui, deveremos examinar as práticas de fábrica antes de fechar pequenas fazendas”.

Processo desumano

Mas a vereadora de Manhattan, Carlina Rivera, que patrocinou a legislação, descreveu o processo de produção de foie gras como “desumano”, acrescentando que “é uma das práticas mais violentas já realizadas e feitas apenas para produzir um produto puramente de luxo e status”.

Para produzir o produto, que provém do fígado “engordado” de gansos e patos, os animais são alimentados à força por um processo conhecido como “gavagem”.

A agência Animal Equality, que fez investigações secretas em fazendas de produção de foie gras, revela que essa prática causa “sofrimento extremo” aos animais que são “forçados a suportar grande agonia”.

Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

Leia mais em: https://www.anda.jor.br/2019/10/foie-gras-e-proibido-em-nova-york-por-motivos-de-bem-estar-animal/.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.