RIO — Nos recifes da polinésia francesa, no meio do Oceano Pacífico, um grupo com dezenas de tubarões cinzentos permanecia quieto no fundo do mar quando um peixe-papagaio, distraído, resolveu nadar por cima da aglomeração já tarde da noite. Mais que imediatamente a massa de tubarões, antes imóvel, se precipitou contra a presa em uma cena que rendeu ao fotógrafo inglês Richard Barnden o prêmio Fotógrafo Submarino do Ano.

De acordo com Barnden, a imagem submersa veio após uma situação de sorte.

— Enquanto eu mergulhava com mais profundidade, centenas de tubarões cobriam o fundo. Esse infeliz peixe-papagaio vacilou ao passar perto e o movimento despertou a massa de tubarões. (…) A aglomeração veio direto na minha direção e eu comecei a tirar as fotos por instinto. Momentos depois, tudo que sobrou foram escamas de peixe-papagaio na escuridão e a foto na minha câmera — disse ele ao jornal britânico “BBC”.

De acordo com Alexander Mustard, que presidiu o júri do prêmio, o fotógrafo foi feliz ao “preservar um momento inesquecível”.

— Usando lentes grande-angulares, o fotógrafo nos faz sentir toda a emoção dessa caçada quando uma massa de tubarões cinzentos surge em onda para pegar sua presa, revelando o lado selvagem do oceano — afirmou ele à BBC.

O prêmio, que tem outras categorias, também concedeu a honra de Fotógrafo de Preservação Marinha de 2019 ao espanhol Eduardo Acevedo, que flagrou uma tartaruga-amarela presa em uma rede de pesca.

Tartaruga-amarela nada amarrada a rede de pesca em imagem premiada sobre preservação da vida marinha
Tartaruga-amarela nada amarrada a rede de pesca em imagem premiada sobre preservação da vida marinha Foto: Eduardo Acevedo

Fonte: Extra.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.