O blog Ecocompanion fez uma seleção dos oito filhotes de animais mais fofos do continente africano. Veja como eles são adoráveis.

Filhote de elefante

Reprodução/EcocompanionReprodução/Ecocompanion

Encontrado na maior parte da África, estes pequenos filhotes são um dos mais fáceis de encontrar. A gravidez das elefantas é uma das mais longas entre os mamíferos e dura até 22 meses.

Filhote de leão

Reprodução/EcocompanionReprodução

O clássico filme “O Rei Leão” já emocionou muitas pessoas que nutrem um carinho especial por filhotes do mamífero.
Quando uma ninhada de filhotes nasce todas as leoas do grupo ajudam a cuidar deles.

Filhote de suricata

Reprodução/EcocompanionReprodução

As suricatas têm até oito filhotes de cada vez. Imagine como suas mães se sentem após o parto!

Filhote de leopardo

Reprodução/EcocompanionReprodução/Ecocompanion

Em uma escala de 1 a 10 esse pequeno e gracioso filhote tem que estar no topo.Quando um filhote de leopardo nasce, seu peso é de apenas uma libra e eles são totalmente cegos, por isso dependem completamente da mãe.

Filhote de girafa

Reprodução/EcocompanionReprodução/Ecocompanion

O filhote de girafa é o maior de todos e costuma ser bem amigável.O nascimento do filhote é impactante, pois ele cai de uma altura de quase dois metros até o chão.

Filhote de chita

Reprodução/EcocompanionReprodução/Ecocompanion

O filhote de chita tem uma expressão fácil única. Uma possível explicação para isso é a alta taxa de perigos enfrentados pela espécie. Além de diversos predadores, há uma falta de diversidade genética e 90% dos filhotes morre em até três meses após o nascimento.

Filhote de cão selvagem

Reprodução/EcocompanionReprodução/Ecocompanion

Os cães sempre serão os melhores amigos do homem. As ninhadas de cães selvagens somam até 20 filhotes.

Filhote de gorila

Reprodução/EcocompanionReprodução/Ecocompanion

Os gorilas são um dos quatro parentes mais próximos dos humanos geneticamente. As fêmeas fazem um ninho de folhas no chão para que possam dormir ao lado de seus filhotes.

Via: Anda.jor.br