O WikiLeaks afirmou, no último final de semana, que o gato que era tutelado pelo ativista Julian Assange está “a salvo”. A informação foi dada para esclarecer incertezas quanto ao destino do animal após a prisão do tutor.

Foto: Peter Nicholls/Reuters

A organização disse ainda que, em meados de outubro de 2018, Assange pediu que seus advogados resgatassem o gato. As informações são do G1.

O gato foi dado a Assange pelos filhos dele em 2016. A ideia era oferecer uma companhia ao ativista na embaixada equatoriana, em Londres, na Inglaterra.

O escritor James Ball disse que o animal foi levado para um abrigo, conforme publicou no Twitter. O escritor disse ainda que se ofereceu para adotar o gato, mas não obteve sucesso na tentativa de adoção.

“Para registro: o gato de Julian Assange foi entregue a um abrigo pela embaixada do Equador tempos atrás, então não esperem uma extradição felina pelas próximas horas”, escreveu.

O WikiLeaks afirmou que espera que Assange e o gato possam se reencontrar quando o ativista estiver em liberdade.

Leia mais em: https://www.anda.jor.br/2019/04/gato-do-ativista-julian-assange-esta-em-seguranca/.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.