Berry: “Há também um público muito mais amplo focado em testes em animais e como os animais são tratados em geral” (Foto: Supplied/Reprodução)

De acordo com informações do New Zealand Herald, a empresa de investimentos Pathfinder Asset Management (PAM), sediada na Nova Zelândia, começou a examinar seus fundos de ações para romper negócios com empresas envolvidas em crueldade contra animais, o que inclui também testes em animais e ausência de políticas de bem-estar.

Segundo o CEO da PAM, John Berry, muitos investidores os procuraram explicando que as questões de bem-estar animal devem ser consideradas prioritárias para empresas que buscam investimentos em produtos e serviços.

Entre os investidores, há veganos que Berry qualifica como pessoas apaixonadas por investimentos isentos de crueldade. “Há também um público muito mais amplo focado em testes em animais e como os animais são tratados em geral”, informa.

Leia mais em: https://www.anda.jor.br/2018/09/investidores-da-nova-zelandia-vao-romper-negocios-com-empresas-envolvidas-em-crueldade-contra-animais/.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.