O cineasta James Cameron, que apoia causas ambientais há anos, acredita que a maioria das pessoas não entende a urgência das questões climáticas.

Foto: Livekindly

Segundo as Nações Unidas, a humanidade tem menos de 12 anos para evitar grandes desastres climáticos. O aumento da temperatura mundial poderá causar inúmeras consequências para a natureza e para a vida – como incêndios, seca e escassez de alimentos.

“As pessoas precisam acordar”, disse Cameron, em entrevista à revista Variety. “Estamos indo o mais rápido possível na direção errada”, acrescentou.

O cineasta acredita que há muitas coisas que as pessoas podem fazer para ajudar a combater a crise climática: mudar os hábitos alimentares está no topo da lista. Cameron se esforça para incentivar as pessoas a abandonarem os produtos animais e se alimentarem de vegetais.

Ele dirigiu o documentário vegano “The Game Changers”, que será exibido no dia 16 em mais de mil cinemas ao redor do mundo. O filme mostra vários atletas adeptos às dietas vegetais, que desmistificam a ideia de que para ingressar no mundo do esporte é necessário comer carne.

A esposa de Cameron, Suzy Amis Cameron, acredita que as dietas vegetais estão em ascensão. “Não é uma tendência – é apenas a maneira real que o mundo está indo. Se você olhar para as indústrias de produtos animais, verá que elas estão investindo em produtos veganos”, disse ela.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

Leia mais em: https://www.anda.jor.br/2019/09/james-cameron-afirma-que-o-mundo-precisa-acordar-para-a-crise-climatica/#utm_source=rss&utm_medium=rss.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.