Uma jovem escocesa foi proibida de tutelar animais por cinco anos após maltratar uma cadela. Emily Paton, de 19 anos, também foi condenada a prestar 110 horas de serviços comunitários, sob supervisão, por um ano.

A rottweiler Tia passava fome e foi encontrada extremamente magra e com um grave problema em um dos olhos. A tutora mantinha a cadela em péssimas condições e não procurou tratamento médico para o problema ocular dela, o que fez com que o animal perdesse um olho.

Apesar dos extremos maus-tratos a que foi submetida, a cadela se recuperou e foi adotada (Foto: SPCA)

Em depoimento à polícia, Emily confessou ter causado sofrimento desnecessário à cadela. As informações são do portal BBC.

Resgatada pela Sociedade de Prevenção de Crueldades contra Animais (SPCA, na sigla em inglês), Tia foi submetida a uma cirurgia para a retirada do olho direito. “Ela precisava de cirurgia urgente para retirar o olho direito, que havia se rompido”, disse a funcionária da SPCA Robyn Gray. “Durante a operação, descobriu-se que o olho esquerdo estava prestes a se romper, então foram precisos cuidados adicionais para salvar a visão dela”, completou.

De acordo com Robyn, a rottweiler pesava metade do que deveria quando foi encontrada. “Tia mal conseguia ficar de pé e estava em péssimas condições”, afirmou.

Apesar dos extremos maus-tratos, a cadela se recuperou totalmente e foi adotada.

“Estamos satisfeitos em ver que Paton foi responsabilizada. Esperamos que ela reflita sobre se tem capacidade de cuidar de outros animais no futuro”, concluiu Gray.

Leia mais em: https://www.anda.jor.br/2018/08/jovem-proibida-tutelar-animais-cadela-perder-olho-devido-maus-tratos/.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.