Os lagartos foram descobertos durante incursões da Força da Fronteira Australiana em Clayton, Oakleigh e Narre Warren em conjunto com o Departamento Australiano de Meio Ambiente e Energia, na última quinta-feira (7), após uma investigação de 10 meses.

“Nós interceptamos e evitamos que 150 répteis vivos fossem enviados para a China e Hong Kong“, diz uma declaração da ABF.

De acordo com um comunicado oficial, havia animais amarrados com fita adesiva e enfiados dentro de meias. Sufocados, alguns deles morreram e outros, muito debilitados, precisaram ser sacrificados.

Os répteis australianos são considerados altamente valiosos no exterior e o tráfico de animais selvagens fatura entre 50 e 150 bilhões de dólares por ano (cerca de 190 a 580 bilhões de reais) e, segundo o superintendente da Força da Fronteira Australiana, Nicholas Walker, estas apreensões seriam apenas a “ponta do iceberg” do contrabando. As informações são do Daily Mail.

“Esses resultados hoje demonstram nosso compromisso comum com a prevenção da importação e exportação ilegal de animais selvagens na Austrália“, disse ele.

“Há também pessoas que estão dispostas a pagar grandes somas de dinheiro por animais exóticos e raros.”

O site do governo afirma que “há penas severas para o tráfico de animais selvagens, incluindo multas e prisão”.

A pena máxima por importar ou exportar espécies sem uma autorização é de 10 anos de prisão, uma multa de 210 mil dólares (cerca 800 mil reais) ou as duas combinadas.

Já para quem tutelar um animal importado ilegalmente tem pena máxima de cinco anos de prisão e a multa é a mesma.

Leia mais em: https://clubedosanimais.com.br/wp-content/uploads/2019/03/lagartos-raros-sao-encontrados-dentro-de-caixas-de-brinquedos-e-latas-de-batatas-anda.br/2019/03/lagartos-raros-sao-encontrados-dentro-de-caixas-de-brinquedos-e-latas-de-batatas/.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.