O governo da Nova Zelândia implementará em breve uma proibição de sacolas plásticas descartáveis em uma tentativa de diminuir o impacto do país sobre o meio ambiente. A notificação é série e já está em curso: varejistas terão seis meses para se enquadrar nas regras e as empresas que não cumprirem podem enfrentar multas de até R$ 386 mil. Os moradores do país estão de acordo e mais do que prontos para essa mudança, em benefício do meio ambiente.

Reprodução | LiveKindly

“Estamos eliminando gradualmente as sacolas plásticas de uso único para que possamos cuidar melhor do meio ambiente e preservar a reputação limpa e verde da Nova Zelândia”, disse a primeira-ministra Jacinda Ardern em um comunicado à imprensa. “Todos os anos, na Nova Zelândia, usamos centenas de milhões de sacolas plásticas descartáveis. Uma montanha de sacos, muitos dos quais acabam poluindo nossos preciosos ambientes costeiros e marinhos e causam sérios danos a todos os tipos de vida marinha, e tudo isso quando existem alternativas viáveis ​​para consumidores e empresas ”, explica. De acordo com a primeira-ministra, que fez referência a uma petição pela causa que acumulou 65.000 assinaturas, este é também o maior assunto sobre o qual as crianças em idade escolar escrevem cartas endereçadas a ela.

Reprodução | LiveKindly

A mudança terá grandes impactos no país, que hoje conta com um dos piores níveis de produção de resíduos urbanos no mundo desenvolvido, com 750 milhões – 154 por pessoa – sacolas plásticas usadas todos os anos. Estes altos números da Nova Zelândia foram recentemente relacionados ao declínio das aves marinhas, nativas da terra, conhecida como a “Capital das Aves Marinhas do Mundo”, abrigando cerca de 36 espécies – mais do que qualquer outro país do mundo. No entanto, os resíduos no oceano estão afetando essas populações, bem como outras espécies marinhas.

Reprodução | LiveKindly

Ardern encorajou os cidadãos a falar sobre este assunto tão importante como o governo. A transparência pode ajudar a tornar a transição o mais fácil possível. O líder da oposição, Simon Bridges, atacou o governo por se concentrar em “questões menores que não farão qualquer diferença real”. No entanto, a proibição teve sucesso em outras partes do mundo. No Reino Unido, os pesquisadores descobriram um declínio de 30% na quantidade de plástico no mar, onde as regiões haviam implementado uma taxa de sacolas plásticas. Isso sugere que os esforços políticos e as mudanças legislativas fazem diferença nos níveis de poluição. Mais de 40 países ao redor do mundo proibiram o uso de sacolas plásticas, e as preocupações com o meio ambiente continuam sendo uma grande motivação para inúmeros governos ao redor do globo.

Leia mais em: https://www.anda.jor.br/2018/08/nova-zelandia-pretende-proibir-o-uso-de-sacolas-plasticas-no-pais/.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.