Uma rápida pesquisa na internet irá mostrar dezenas de vídeos de encontros entre drones e aves. Embora seja impressionante ver uma ave derrubar um drone, isso pode impactar o animal de maneiras que ainda não compreendemos.

Com o avanço dessa indústria, os drones são cada vez mais utilizados em medidas de preservação. Por isso, dois pesquisadores australianos desenvolveram um código para que as máquinas sejam usadas de forma ética, informa o portal Mashable.

Jarrod Hodgson, pesquisador da Universidade de Adelaide e Lian Pin Koh, fundador do ConservationDrones.org, que têm utilizado drones para monitorar a vida selvagem, acreditam que mais precisa ser feito para avaliar o seu impacto.

Diante disso, um código de conduta foi publicado na revista Current Biology. Recomenda-se uma abordagem preventiva quando as máquinas voam perto de animais e, se necessário, a trajetória de voo deve ser interrompida.

Em casos de pesquisas ecológicas, eles sugerem que deve ser considerada a coleta de dados por meio de uma aeronave tripulada ou satélite em altitudes que não afetam os animais. O drone apropriado para o trabalho também pode ser selecionado para minimizar a intrusão.

Segundo Hodgson, o código de conduta é apenas o primeiro passo. “Felizmente, podemos desenvolver protocolos específicos para que os pesquisadores usem drones como uma ferramenta de pesquisa ecológica poderosa e de baixo impacto”.

Hodgson disse que o impacto completo de drones em animais ainda é desconhecido. Enquanto alguns estudos analisaram o efeito de drones em animais a partir de um ponto de vista observacional – voando perto de espécies selvagens para analisar suas reações – alguns mediram elementos fisiológicos importantes, como a frequência cardíaca e o estresse.

Para as aves, particularmente, drones que voam perto de ninhos podem gerar um impacto dramático, pois as aves podem abandonar os ninhos.

Hodgson espera que o código de conduta seja adotado também fora do ambiente acadêmico, então todos os animais serão poupados pela intrusão irresponsável de drones.

Embora a Autoridade Civil de Segurança de Aviação da Austrália não emitiu orientações sobre o tema, outras instituições estão estabelecendo políticas para proteger os animais de drones.

A Gestão Nacional Atmosférica e Oceânica dos Estados Unidos, por exemplo, emitiu conselhos para ajudar a proteger a vida marinha de drones. No estado australiano de New South Wales, é preciso autorização para que um drone sobrevoe um parque nacional.

Via: Anda.jor.br