Já não é novidade o problema do abandono de cães e outros pets no Brasil, e isso pode ser claramente comprovado pelo grande número de animais que lotam os abrigos brasileiros. No entanto, de acordo com a Suipa – Sociedade União Internacional de Protetora dos Animais, o número de cães abandonados chega a crescer cerca de 70% durante o período das férias escolares, piorando ainda mais uma situação já crítica.

Ainda segundo as informações divulgadas, a média mensal de animais abandonados que são resgatados pela Suipa, no Rio de Janeiro (RJ) – que gira em torno de 28 – subiu para 95 no mês de novembro; e nos 10 primeiros dias de dezembro já somava 49 pets. A principal motivação alegada para este alto índice são as mudanças de residência; entretanto, quem atua nas entidades que lutam pela proteção de animais crê que, na realidade, são as viagens de fim de ano que geram este cenário.

Além de chocante, a situação também pode ser considerada contraditória, tendo em vista que, hoje em dia, é cada vez mais fácil viajar com animais de estimação para as mais variadas localidades – e, só em São Paulo, cerca de 550 dos 2,5 mil hotéis em atividade já aceitam a hospedagem de pets em suas dependências.

Além da grande quantidade de facilidades para levar cães e gatos em viagens, há, também, um número ainda maior de opções para hospedar pets enquanto seus donos estão longe, aumentando a revolta dos amantes de animais ao ver cenas como a divulgada em redes da internet no mês passado, que mostrava o abandono de um cãozinho por seu proprietário em plena luz do dia, em uma movimentada avenida paulistana.

Mesmo com o alto número de manifestações contra o abandono e os maus-tratos de animais por todo o País – lembrando os futuros donos de pets a pensar bem se terão condições de cuidar do animal de maneira adequada e por um longo período – a situação segue grave; já que, em cada dez cachorros abandonados, apenas um consegue encontrar um novo lar.

Fonte/Foto: Terra.com.br/Anda.jor.br

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.

DEIXE UMA RESPOSTA