Cães a gatos geralmente sobrevivem a acidentes de carro por serem protegidos, até certo ponto, por camadas espessas de pelo e por sua considerável flexibilidade. Contudo, seu rápido período de recuperação é enganoso. Uma razão pela qual os acidentes de carro são tão perigosos é a de que muitos animais aparentemente saem deles com nada além de uma unha arrancada ou alguns arranhões. As pessoas acreditam que eles estão bem e eles não são levados para um check-up. No entanto, enquanto isso, eles podem ter ferimentos internos que não serão percebidos durante horas ou dias.

Caso seu bichinho seja atropelado, faça isto já:

1. Amordace seu animal. Tenha certeza de que seu  bichinho está respirando sem dificuldades. Caso não esteja, veja nossa matéria sobre medidas de contenção no link a seguir.

http://clubedosanimais.com.br/evite-problemas-com-seu-animal-saiba-como-fazer-uma-contencao/

 

2. Verifique a respiração.A força de ter sido atropelado por um carro geralmente danifica os pulmões levando à parada respiratória, e fazer com que seu animal volte a respirar é a prioridade. Segure a boca de seu animal com uma mão, ponha sua boca sobre o seu nariz e dê duas sopradas rápidas. Repare se o peito infla, depois continue dando de 15 a 20 sopradas por minuto, até que o animal volte a respirar.

3. Verifique os batimentos cardíacos.

4. Faça ressuscitação cardiopulmonar. Caso você não consiga encontrar o pulso ou ouvir o batimento cardíaco, terá que fazer compressões no peito para forçar o sangue correr pelo corpo. No caso de gatos e cachorros pequenos, ponha sua mão em concha sobre a extremidade do peito que fica logo atrás dos cotovelos. Aperte firmemente com seu polegar de um lado e os outros dedos do outro, pressionando cerca de 1 cm de 80 a 100 vezes por minuto. Alterne uma respiração a cada cinco compressões.

Um cachorro de porte médio para grande, precisa ser deitado de lado em uma superfície firme e reta. Coloque as mãos uma sobre a outra sobre o peito do animal. Tente comprimir o peito em cerca de 25% a 50%  a cada compressão. Alterne compressões com a respiração na mesma proporção que para animais pequenos.

5. Pare o sangramento. A segunda prioridade é parar o sangramento. Pressione diretamente os machucados com um pano limpo, gaze, ou até mesmo a sua mão (um absorvente íntimo é perfeito, por que é altamente absorvente). Segure a compressão por cerca de cinco minutos. A ideia é diminuir o fluxo de sangue para que se formem coágulos. Não remova a compressa encharcada de sangue, ao invés disso, coloque uma segunda sobre a primeira.

6. Verifique as gengivas. Elas deverão estar rosadas ou co a cor escura. Se estiverem pálidas, enrole-o em uma toalha ou cobertor para mantê-lo aquecido.  Você também pode colocar duas gotas de mel em suas gengivas, para ajudá-lo a se manter consciente.

7. Cubra e proteja os ferimentos. Veja a nossa matéria sobre cortes e ferimentos no link a seguir:

http://clubedosanimais.com.br/primeiros-socorros-para-animais-2-cortes-e-ferimentos/

8. Proteja os olhos do seu animal. Para evitar a cegueira, caso o olho do animal tenha sido atingido, você deve limpá-lo e protegê-lo. Molhe um pedaço de pano limpo com soro fisiológico estéril ou água limpa e segure-o sobre o olho atingido sem fazer nenhuma pressão.

9. Imobilize uma pata quebrada. Saiba como transportar um animal ferido no link a seguir:

http://clubedosanimais.com.br/como-transportar-um-animal-ferido/

10. Depois dos primeiros socorros, leve seu animal ao veterinário mais próximo, o mais rápido possível.