Quando um porco chamado Toby foi resgatado pelo santuário The Blind Spot, nos EUA, ele tinha uma espécie de “piercing no focinho”. Este tipo de dor e desconforto geralmente são causados porque um de seus comportamentos naturais é escavar o solo e, muitas vezes, eles acabam criando buracos grandes o suficiente para conseguirem escapar.

Reprodução | One Green Planet

Apesar de cruel, esta é uma prática extremamente comum não apenas em porcos. Os animais geralmente recebem esses brincos metálicos em seu focinho por essa ser uma parte extremamente sensível de seus corpos. Dessa forma, os fazendeiros conseguem controlar os animais, e eles se submetem às ordens com mais facilidade.

É assim que animais em zoológicos à beira de estrada, ursos explorados para fazer apresentações de dança, touros abusados em touradas e rodeios, entre outros, são controlados. Porque eles são frequentemente torturados, e acabam cedendo; não porque eles são dóceis e aceitam pacificamente.

O problema é que, além de doloroso, o procedimento pode causar outros tipos de danos, gerados pela incapacidade de exibir seus comportamentos naturais. Por exemplo, os porcos também usam seus focinhos para desenterrar alimentos como raízes e insetos, ambos imprescindíveis para que ele possa ingerir os minerais necessários no dia. Além disso, eles usam o focinhos para construir buracos de lama para se refrescarem em dias quentes e, em geral, para explorar o ambiente.

Agora, a equipe do santuário está preocupada em remover as argolas metálicas do focinho do animal o mais rápido possível. O procedimento exigirá sedação e o conselho dado pelos veterinários é o de que é melhor esperar até que o tempo esteja mais frio antes de retirá-lo.

Leia mais em: https://www.anda.jor.br/2018/07/porco-com-piercing-no-focinho-se-torna-simbolo-da-maldade-e-insensibilidade-humana/.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.