Animais domésticos são menos propensos à hipotermia do que os seres humanos, pois além de possuir uma grossa camada de pelos, eles tem um reflexo de tremor muito forte, fazendo com que gere calor e a temperatura se eleve pela aceleração do metabolismo.

Porém, quando venta muito, ou os pelos ficam molhados por um longo período, as coisas podem mudar. Animais com uma queda de temperatura branda, apresentará calafrios, ficando mais lentos e gelados, nesse caso a temperatura é muito mais fácil de ser estabilizada, com cobertores ou mantas térmicas.

Já a hipotermia grave poderá ser fatal se você não levá-lo rapidamente ao veterinário. Os animais param de tremer quando a temperatura atinge 32°C (lembrando que os termômetros convencionais só marcam até 34°C)  A partir daí, o animal pode perder a consciência, a frequência tanto respiratória quanto cardíaca ficam quase nulas e os órgãos entram em fase de insuficiência. Caso a temperatura tenha caído abaixo de 32°C em menos de meia hora, aplique fontes externas de calor (mantas térmicas, bolsas de água quente) e corra o mais rápido possível para o veterinário. Um local estratégico, é dos lados do pescoço e nas virilhas, onde passam os grandes vasos.
Lembre -se sempre de não colocar a fonte de calor em contato direto com a pele do animal, pois pode queimá-lo. Isole o material com toalhas.

Caso o animal esteja molhado seque-o ao máximo.

Animais com hipotermia grave correm risco de entrar em choque. Sua taxa de açúcar no sangue por estar baixa também. Você pode tentar esfregar uma pequena quantidade de mel em suas gengivas. Isso pode ou não funcionar, pois nesses casos a circulação mais externa será desviada para os órgãos principais, para manter a vida do animal.

Reforçando: SEMPRE LEVE O ANIMAL PARA O VETERINÁRIO MAIS PRÓXIMO EM CASOS DE EMERGÊNCIA