Um projeto, de autoria juíza Sueli Zeraik Oliveira Armani, da Vara de Execuções Criminais de Taubaté (SP), criou polêmica na cidade. Trata-se de uma proposta que prevê a criação de abrigos para cachorros e gatos em presídios do município de Tremembé e de Taubaté por meio de um convênio entre a Prefeitura, a Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) e a Vara de Execuções Criminais.

(Foto: Divulgação / Imagem Ilustrativa)

Um requerimento foi aprovado na Câmara Municipal contra a proposta. De autoria da vereadora Vivi da Rádio (PSC), o documento solicita a suspensão do convênio, assinado no último dia 8, até que uma audiência pública sobre o tema, marcada para o dia 20 de junho, seja realizada.

De acordo com o requerimento, o gasto previsto com a obra, que será arcado pela Prefeitura, é de R$ 200 mil para a construção de um gatil no CDP de Taubaté e um canil na P-1 de Tremembé. As informações são do site Gazeta de Taubaté.

“Na primeira rebelião que tiver, a cabeça do cachorro vai rolar na rua. Colocar um animalzinho indefeso dentro do presídio, sou contra”, afirmou Vivi. “Vai ser uma prisão perpétua [para o animal]”, disse Douglas Carbonne (PCdoB) ao afirmar que os animais dificilmente serão adotados.

A proposta, entretanto, foi defendida por outros vereadores. Bilili de Angelis (PSDB) protocolou, inclusive, uma moção de aplausos, que será votada na próxima segunda-feira (21), à magistrada que idealizou o projeto.

“Acho importante tirar os animais das ruas, onde eles não têm castração, vacinação, alimentação”, disse Graça (PSD). Para a parlamentar Loreny (PPS), a proposta é “inovadora”.

 

Leia mais em: https://www.anda.jor.br/2018/05/projeto-que-cria-abrigos-para-animais-em-presidios-gera-polemica/.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.