Reprodução

Centenas de animais vivem nas ruas do Recife, expostos a fome, chuva, maus-tratos e abandonados à própria sorte. Sensibilizada pela situação de cães e gatos de rua do Recife, a protetora Mirtes Vasconcelos começou aos poucos a recolher, tratar e disponibilizar animais sem tutores para doação.

Hoje, a casa dela é morada de 49 gatos e 10 cachorros. Desempregada, Mirtes não consegue mais dar conta de outras atividades e nem custear os gastos altos com ração, remédios e veterinários.

Por conta da quantidade de animais abrigados na casa, um saco de ração de 25 quilos dura apenas oito dias. Atualmente, os gastos com a alimentação dos animais é sustentada por doações, “Abracei essa causa e infelizmente não está dando para continuar”, lamenta Mirtes.

Outra questão com a qual ela precisa lidar é a falta de espaço. Enquanto os gatos ficam soltos na casa, o cachorros são abrigados em um dos quartos do imóvel, o que vem incomodando vizinhos por conta do barulho.

De acordo com a protetora, já se tornou comum receber reclamações sobre os animais. “Tive um problema recente com um vizinho, que reclamou dos latidos e uivos dos cachorros, principalmente quando não estou”, explicou.

Por esses motivos, Mirtes faz um apelo pela adoção dos animais cuidados por ela e por colaborações. A ajuda pode ser fira diretamente com ela, na Rua G, número 10, no Totó, Zona Oeste da cidade.

Fonte: OP9

Leia mais em: https://www.anda.jor.br/2018/09/protetora-de-animais-pede-ajuda-para-os-seus-caes-e-gatos-no-recife-pe/.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.