Assim como nós humanos, o inverno provoca uma queima maior de calorias no corpo dos animaizinhos. Isso tudo acontece, pois, a temperatura do ambiente fica mais baixa e o corpo dos pets precisa trabalhar mais para manter a temperatura interna ideal, que é entre 37 e 39 graus.

Essa temperatura não pode cair, sob pena de que ele desenvolva alguns incômodos ou que fique doente de verdade. Por exemplo, nos dias em que a temperatura chegue na casa dos 10 graus, o corpo do animal terá que produzir calor para manter a temperatura interna na casa dos trinta e poucos graus, ou seja, quase 20 graus a mais para compensar.

E nem sempre essa tarefa é fácil por mais pelos que alguns tenham distribuídos pelo corpinho podem não ser suficientes para essa missão. Por isso, fique atento às dicas que vamos dar sobre o que você pode fazer para que o seu pet atravesse os dias mais frios com saúde e conforto.

5 cuidados com a alimentação do pet no inverno

No inverno é indicado disponibilizar 30% a mais de comida para o cachorro (Foto: depositphotos)

1. Alimentação

A alimentação deve ser reforçada com vitaminas e ingredientes selecionados. Por isso, é bom pensar em uma ração de melhor qualidade que possa auxiliar nesse trabalho reforçado que o organismo vai ter que desenvolver para dar conta de manter a temperatura ideal.

Se o seu pet preferir, complemente a alimentação dele com leite morninho. Ele vai amar. Mas essa bebida tem que estar fervida e fresca. Fora isso, não forneça alimentos próprios para humanos. Eles podem conter substâncias tóxicas ou levar seu cachorro a desenvolver outras doenças.

Veja também: Ração para cães idosos

2. Quantidade

Essa é uma questão importante. Assim como a maioria das pessoas costuma ingerir mais calorias durante o inverno, os animais também são assim. Diante disso, você deve monitorar a quantidade de comida que seu cachorro come, para evitar a obesidade.

Porém, você não pode dar a mesma quantidade do verão, pois biologicamente o corpo vai precisar de mais energia, que vem dos alimentos. Daí o cálculo é fácil: disponibilize 30% a mais de ração durante o inverno para o seu cachorro, se comparado ao verão. Desta forma, você nem estará facilitando a obesidade tampouco deixando que o cãozinho passe fome.

3. Água

Você sabe que no inverno ingerimos menos água, não é? Os bichinhos também são assim. Mas nem por isso devemos aceitar essa situação. Então, abuse da criatividade para oferecer o precioso líquido ao seu cachorro. Se possível, faça-o correr, brincar e ele certamente vai sentir necessidade de tomar água.

Veja também: Mitos e verdades sobre a alimentação dos cães filhotes

4. Higiene

Não é só na alimentação que os hábitos passam por uma alteração durante a estação mais fria do ano, a higienização também. Isso porque, a hora do banho pode abrir as portas para tosse nos cães ou para a rinotraqueíte nos gatos.

Então, quando for dar banho nos bichos em casa mantenha a água morna e jamais dê banho neles ao ar livre, com correntes de ar. Outro truque é usar o secador para secar os pelos mais rápidos e aquecer o couro deles. Mas atenção: cuidado com a temperatura para não queimar a pele.

5. Abrigo

Além da alimentação ideal e da higienização adequada, outro cuidado muito importante é com o abrigo do seu cachorro. Ele precisa ser um lugar protegido do vento e da chuva.

Mas essa mudança não pode ser brusca, pois ele pode não se adaptar e passar a rejeitar o espaço. Aos poucos, vá incluindo mantas mais quentinhas ou mude de lugar para deixá-lo mais quentinho.

Na dúvida, disponibilize sempre um potinho com água limpa para ele, bem próximo à ração. Isso vai evitar também que eles bebam água empossada da chuva, que pode até estar contaminada.

Veja também: Importância da alimentação balanceada para cães

Fonte Oficial: https://www.clubeparacachorros.com.br/alimentacao/qual-alimentacao-devo-dar-ao-meu-cachorro-no-inverno/.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.