O processo de perda de pelos do seu cachorrinho é considerado normal e faz parte do seu crescimento e da proteção da sua pele, embora nem sempre seja agradável para quem passa pela experiência de sair de casa com as roupas cheias de “souvenires” do seu bichinho de estimação. Dependendo da raça do seu cão, existe uma disposição maior a perda desses pelos, mas em alguns casos a queda excessiva pode significar algum problema e é bom ficar atento.

A época de “muda” acontece normalmente duas vezes no ano. Na preparação do inverno e do verão os pelos são trocados e o processo é parte natural da fisiologia canina. Algumas raças que têm uma segunda camada de pelugem têm uma disposição maior a perdê-los, como Golden Retriever, Pastor Alemão, Pug, Shetland, Dalmata, Beagle, Labrador e Husky Siberiano.

O estudante Marcelo Menezes é tutor de Bel, uma fêmea de Pastor Alemão de 7 anos. Ele conta que a cachorrinha sempre soltou muitos pelos mas que na época que trocam a pelagem a quantidade aumenta bastante. “Temos que varrer a casa duas vezes ao dia por conta da quantidade de pelos”, disse. “Costumamos escová-la para diminuir a queda”, completa.

A escovação é importante pois tira o excesso de pelugem acumulada. De acordo com a veterinária Rejane Azevedo, os cuidados vão além disso. “Existem no mercado suplementos alimentares que minimizam a queda e contêm ômegas 3, 6 e 9 e um complemento de vitamina A”, conta. “É preciso ter cuidado também com o tipo de alimento que o cão está consumindo”, explica a profissional.

Alguns tipos de comida não são apropriadas e podem acabar provocando alergia na pele do cachorro. Algumas patologias refletem diretamente no pelo. “Alguns tutores costumam dar comida caseira para os cachorros e isso pode desencadear uma maior queda de pelos”, conta. “Desde que ela não seja ligada a lesões da pele, coceira e escurecimento dos pelos, a perda é considerada normal”, disse Rejane.

Pelos podem ser um transtorno na hora de manter a casa em ordem, principalmente porque eles grudam nas roupas, almofadas e no sofá. Os pelinhos espalhados pela casa se tornam um problema maior para quem é alérgico e manter a higiene do local é fundamental para que a convivência com o animal seja cada vez mais harmoniosa. É recomendável o uso de panos úmidos na hora de fazer a limpeza das suas roupas, assim como o uso do aspirador de pó que soluciona o problema de pelos nos tapetes. Para superfícies mais estofadas existem produtos especiais, rolos aderentes, que são vendidos em qualquer supermercado e que auxiliam na remoção desses pelos.

Fonte/Foto: Diário de Pernambuco/Calazans/Esp.DP/D.A Press