Animais silvestres estão sofrendo com as queimadas constantes em matas de Mato Grosso do Sul. A prática da queima controlada, que é autorizada, está proibida até o mês de setembro no estado e até outubro no Pantanal devido ao período de seca.

(Foto: Divulgação / PMA)

No Mato Grosso do Sul, a estiagem já dura 80 dias. A baixa umidade do ar e a insistência de parte da população em fazer uso do fogo de forma irregular tem provocado o aumento de incêndios que estão colocando em risco a vida de animais silvestres. Uma série de resgates foram realizados pela Polícia Militar Ambiental no município de Coxim. As informações são do portal Correio do Estado.

Dentre os casos está o de uma anta, encontrada em um sítio com ferimentos nas patas e em parte da paleta, e um tatu-galinha, resgatado na BR-163 com queimaduras em todas as patas. Os dois animais foram encaminhados ao Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS) de Campo Grande, onde estão recebendo atendimento médico.

(Foto: Divulgação / PMA)

Além deles, uma cutia, que não sobreviveu, também foi vítima de um incêndio. Encontrada por um morador, o animal estava bastante ferido e morreu enquanto era procurado atendimento veterinário.

Leia mais em: https://www.anda.jor.br/2018/08/queimadas-em-matas-ferem-matam-animais-em-mato-grosso-do-sul/.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.