Por David Arioch

Reduto Vegano quer desmitificar a ideia de que é necessário pagar caro por opções veganas (Fotos: Divulgação)

No final de semana foi inaugurado no Centro Histórico de São Paulo o restaurante Reduto Vegano, que prioriza principalmente a recriação de pratos já queridos pelos brasileiros.

“Trabalhamos com a ideia de preço consciente, em que o cliente avalia o prato, local e serviço e diz qual o valor a ser pago”, explica a direção do estabelecimento.

O Reduto Vegano quer desmitificar a ideia de que é necessário pagar caro por opções veganas. “A proposta realmente é não ter valores fixos para os pratos. Cada pessoa paga o que achar justo”, reforça a direção.

A escolha de um edifício tombado para abrigar o restaurante surgiu da preocupação em encontrar um espaço aconchegante no centro da capital paulista.

Entre as opções oferecidas no cardápio estão strogonoff de legumes ou soja com champignon e palmito, arroz e batata palha; paella – arroz com mix de pimentões, abobrinha, berinjela e cenoura feito com especiarias; baião de dois – feijão de corda, arroz, farofa, calabresa vegana e tofu seco; risoto de shitake e curry indiano – grão-de-bico, tofu seco, batata e cenoura preparados com curry indiano e chapati.

Serviço

O Reduto Vegano abre de segunda a sábado das 12h às 16h.

Rua Álvaro de Carvalho, 79 – Centro Histórico de São Paulo (SP).


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.


 

Leia mais em: https://www.anda.jor.br/2019/08/restaurante-reduto-vegano-e-inaugurado-no-centro-historico-de-sp/#utm_source=rss&utm_medium=rss.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.