Muitas pessoas não abrem mão de viajar com seu animal, mas para ter essa companhia tão querida, são necessários alguns cuidados especiais.

Segundo a veterinária Mariana Lisboa, uma das exigências é que o animal tenha tomado todas as vacinas, pelo menos 30 dias antes da partida. “É necessário a vacinação em dia, o animal estar livre de parasitas e carrapatos. Fazemos a emissão do atestado sanitário, ele é válido para até 10 dias após a consulta. Se a viagem durar mais de 10 dias, ele precisa ir a um veterinário no local pra emitir um novo atestado”, explica.

A empresária Bruna Dias Mendonça, de Governador Valadares (MG), tutela duas cadelinhas, a Jujuba e a Duda. As amiguinhas de quatro patas já foram para Além Paraíba (MG) e até para a praia, em Vitória (ES). Ela conta que sempre toma cuidados para que as duas viagem com segurança e conforto, sem prejuízos à saúde.

“As duas mantém as vacinas em dia. Levo os bebedouros para hidratação e o cinto de segurança do Pet é muito importante para segurança delas”, declarou.

Assim como a Bruna, muita gente transporta seus animais no carro, mas o que muita gente não sabe, ou se esquece, é que eles devem ser levados dentro de caixas de transporte, onde o animal consiga ficar em pé e dar uma volta de 360 graus no interior do compartimento, conforme explica a veterinária.

Ainda segundo ela, assim como os humanos, os animais também podem ter enjoos e estresse durante a viagem. “A gente passa um relaxante muscular 30 minutos antes, pra ele poder viajar mais tranquilo, corta a alimentação durante o dia e oferece essa medicação”, diz. Quando o animal já é idoso, e mesmo mais novo, é necessário que haja paradas para que ele possa fazer suas necessidades e beber água, principalmente em viagens longas.

Mas e quando a viagem é internacional? A veterinária explica que cada país tem exigências próprias. Em alguns, o animal precisa ficar em quarentena por um determinado período de tempo logo após o desembarque. “Para viagens internacionais, você faz o atestado normal e, de posse deste, o cliente vai ao Ministério da Agricultura, onde tira o Certificado Veterinário Internacional (CVI)”.

Se o animal pesar mais de cinco quilos, ele será levado junto com as bagagens no avião. Quem for se hospedar em hotéis, pousadas ou pensões, precisa saber se o estabelecimento aceita a entrada de animais ou se possui algum local estruturado para os receber.

Fonte: G1