A constipação é algo muito comum nos animais domésticos. Pode acontecer por obstrução pela ingestão de corpo estranho, bolas de pelo, tumores no trato intestinal, caso o animal seja idoso ou filhote (sem estimulação materna)… São vários problemas que levam à esse quadro.

Um dos casos mais simples de ser tratado é quando a evacuação fica “presa” ao anus durante muito tempo, e acaba secando e causando irritação, infecção e dor no local. O incômodo é tão grande que muitas vezes os animais nem tentam defecar. E quando tentam, ganem, mordem suas extremidade posteriores, e arrastam seus traseiros no chão. Nesses casos, o indicado é que tente retirar o pelo que está em volta e limpar com água morna, para retirar o máximo possível de fezes.

Em animais com tendência à constipação seria indicado uma ração rica em fibras. Um alimento muito indicado é a abóbora, que tem grandes quantidades de fibra e grande quantidade de água, o que ajuda a manter a regularidade do intestino.

Animais mais velhos são mais propensos a terem esses problemas, porque podem não apresentar movimentos intestinais frequentes. Quanto mais tempo as fezes ficarem no organismo, mais água o intestino tirará delas, deixando a massa fecal dura e muito mais difícil de sair, podendo até danificar músculos e nervos. Animais com constipação severa param de comer, vomitam e sentem dores abdominais.

Um fato bem comum observado em filhotes recém-nascidos que perderam suas mães logo ao nascer ou ficaram pouco tempo com as mesmas, é quando não conseguem defecar nem urinar. A mãe tem papel fundamental quando se trata disso, pois com as lambidas ela estimulará o funcionamento do trato urinário e digestório. Quanto não há a mãe, deve-se molhar um algodão ou uma gaze em água morna e passar delicadamente na região perianal em movimentos circulares.

E nunca esqueça, leve seu animal no veterinário rotineiramente. principalmente quando apresentar um caso de constipação!

Bibliografia: Primeiros Socorros para Cães e Gatos – Amy D. Shojai