Por David Arioch

A inauguração foi prestigiada por mais de 300 apoiadores, além da parlamentar e vegana Kerry McCarthy, do Partido Trabalhista Britânico (Foto: JVS/Divulgação)

A Sociedade Vegetariana Judaica abriu esta semana as portas do primeiro Centro Vegano Judaico do mundo na sua sede na Finchley Road, na Grande Londres, na Inglaterra. E a iniciativa só foi possível graças a centenas de apoiadores que realizarem doações por meio de uma campanha de financiamento coletivo.

“Estamos muito satisfeitos em abrir as portas para o primeiro Centro Vegano Judaico do mundo no momento certo, quando os centros comunitários estão em falta, e quando a produção de produtos de origem animal se tornou mais cruel do que nunca”, disse a diretora da JVS, Lara Balsam, ao Jewish News.

E acrescentou: “Esperamos inspirar a criação de muitos desses centros ao redor do mundo, atendendo à crescente demanda e interesse pelo veganismo judaico.”

A inauguração foi prestigiada por mais de 300 apoiadores, além da parlamentar e vegana Kerry McCarthy, do Partido Trabalhista Britânico.

Fez parte da programação oficinas de culinária vegana, de jardinagem e discussões sobre ética alimentar no judaísmo com os rabinos Jonathan Wittenberg e Debbie Young-Somers. Além de uma nova cozinha, o Centro Vegano Judaico conta com salas de reuniões e jardim.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, independentemente do valor, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA


 

Leia mais em: https://www.anda.jor.br/2019/06/sociedade-vegetariana-judaica-abre-as-portas-do-primeiro-centro-vegano-judaico-do-mundo/#utm_source=rss&utm_medium=rss.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.