Animais mortos em Vitória — Foto: Divulgação/ Semmam

Duas tartarugas de espécies em extinção e quatro arraias foram encontradas mortas presas em uma rede de pesca na Baía das Tartarugas, em Vitória, na manhã desta segunda-feira (29), perto do Iate Clube.

Os responsáveis não foram identificados. As multas para esse crime ambiental podem variar de R$ 700 a R$ 100 mil.

A Patrulha Náutica Ambiental da Secretaria do Meio Ambiente (Semmam) da prefeitura ainda resgatou da rede outra arraia e três caranguejos, mas com vida. Eles foram devolvidos ao mar.

A prefeitura disse que as tartarugas morreram de asfixia, porque foram impedidas de subir à superfície. Elas foram levadas para o Instituto de Pesquisa e Reabilitação de Animais Marinhos (Ipram).

“As redes não são seletivas, elas não pegam só o que os pescadores querem, e acabam matando várias espécies”, explicou Paulo Rodrigues, oceanógrafo e coordenador de monitoramento costeiro da Semmam.

Por lei é proibido o uso de qualquer tipo de rede na baía do Espírito Santo e nos canais de Vitória e Camburi.

As duas tartarugas encontradas são de espécies em extinção, tratadas como vulneráveis. “A Caretta caretta vem para o litoral apenas para desovar, e foi uma surpresa vê-la na rede. A outra apreendida, uma tartaruga verde, é mais comum de se achar por aqui”, contou Paulo.

O oceanógrafo explicou que a tartaruga Caretta caretta tinha cerca de 20 anos de idade e a verde por volta de quatro. A expectativa de vida desses animais é de até 80 anos.

“Essa rede de espera foi esquecida lá, pelo que pareceu. É um perigo não só para os animais, mas para todo mundo. Um mergulhador que passasse por lá poderia se afogar também”, alertou Paulo.

Fonte: G1

Leia mais em: https://www.anda.jor.br/2018/10/tartarugas-em-extincao-morrem-em-redes-de-pesca-em-vitoria-es/.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.