Nove tartarugas foram devolvidas ao mar nesta quinta-feira (1) na Praia do Cassino, em Rio Grande, no Litoral Sul do Rio Grande do Sul. Os animais marinhos foram encontrados encalhados na areia das praias da região, há cerca de duas semanas, durante um monitoramento, entre a barra do Rio Grande e o Arroio Chuí. Os animais foram localizados pelos pesquisadores do Projeto Pinípedes do Sul, direcionado à conservação de leões e lobos-marinhos.

Foto: Reprodução/RBS TV

“Estavam magros, com o corpo coberto de organismos que ficam no seu casco e na estrutura dura do corpo”, relata Paula Canabarro, oceanóloga e e coordenadora do Centro de Recuperação de Animais Marinhos (CRAM) da Universidade Federal do Rio Grande (FURG), responsável pelo tratamento dos animais. Nenhuma delas apresentava lesões causadas por redes de pesca ou lixo.

Na universidade, para onde foram encaminhadas, as tartarugas receberam tratamento com aplicação de vitaminas, hidratação e alimentação oral. “Elas comem algas, peixe, camarão, lula. A gente oferece uma diversidade de opções, e elas se alimentam voluntariamente”, explica Paula.

Os animais encontrados são juvenis e da espécie Verde. A oceanóloga explica que essa espécie se reproduz no Brasil, mas que no Rio Grande do Sul, especificamente, não tem área de desova e reprodução. O deslocamento para o litoral gaúcho se deve às opções alimentares.

Conforme Paula, é comum que tartarugas marinhas encalhem no litoral do estado nesta época do ano. Durante o inverno, parte delas diminui seu metabolismo e, quando a temperatura da água do mar começa a aumentar, a partir da primavera, o metabolismo dos animais acelera e eles começam a ficar mais ativos.

As tartarugas estavam saindo desse período de letargia e passaram por um evento meteorológico que acabou empurrando algumas para fora d’água. “Foi após uma ressaca, que, provavelmente, fez com que esses animais encalhassem”, supõe a oceanóloga.

Fonte: G1

Leia mais em: https://www.anda.jor.br/2018/11/tartarugas-sao-devolvidas-ao-mar-apos-receberem-cuidados-no-rs/.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.