O Secretário de Defesa inglês, Gavin Williamson, elogiou as tropas prestes a embarcar para o Malaui, na África Oriental. O exército britânico treinará guardas florestais do país na operação contra a caça de elefantes africanos e rinocerontes negros.

Williamson se encontrou com alguns soldados no West Midlands Safari Park, no Reino Unido, na terça-feira (29). Eles se preparam para iniciar as atividades no continente africano no próximo mês.

Secretário da defesa do reino unido e soldados em safári do país

Secretário de Defesa, Gavin Williamson, encontrou-se com alguns soldados no West Midlands Safari Park. Foto: reprodução

Os combatentes conheceram especialistas em zoologia no parque, que trabalham com órgãos de conservação para ajudar a proteger espécies ameaçadas.

A Grã-Bretanha tem tomado partido contra a bárbara caça de animais selvagens. Este comércio criminoso gera até £ 17 bilhões e representa uma ameaça existencial aos mamíferos mais majestosos do planeta.

O governo britânico também está introduzindo uma das proibições mais restritivas do mundo sobre o marfim.

Uma equipe especializada passará semanas trabalhando ao lado de guardas florestais. Formada por vinte tropas de várias unidades do Exército britânico, os soldados passarão experiência, como táticas de rastreamento e contra-rebeliões.

Em 2017, o Exército Britânico trabalhou no leste e oeste da África auxiliando os guardas florestais no rastreamento de caçadores. Seu treinamento permite a cobertura de longas distâncias enquanto buscam assassinos de elefantes e rinocerontes, que vendem ilegalmente o marfim.

No início deste mês, a primeira-ministra Theresa May confirmou que a Grã-Bretanha proibiria as vendas de marfim. A medida faz parte de um plano de proteção para os elefantes das gerações futuras. A pena máxima por violar a proibição será de até cinco anos de prisão.

O major James Cowen irá liderar a ação no Malaui e comentou seu entusiasmo e dos colegas. “Essa será uma oportunidade real de transmitir nossos conhecimentos e construir parcerias com pessoas que trabalham dia e noite para ajudar a proteger esses animais. Isso mostra que o exército britânico é flexível e comprometido com uma perspectiva internacional”.

A operação é financiada com a ajuda do Departamento de Alimentos, Assuntos Rurais.

Leia mais em: https://www.anda.jor.br/2018/05/tropas-inglesas-ajudarao-no-combate-contra-a-caca-em-malaui/.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Clube dos Animais.